A geograficidade no caminhar de peregrinos / The geographicity on the pilgrim path

José Arilson Xavier de Souza

Resumo


O presente artigo, fundamentado na concepção dardeliana de geograficidade, discute o caminhar de peregrinos. A peregrinação é tratada como parte essencial do existir dos homens religiosos que a praticam, não se desvinculando da geografia do dia-a-dia. Com efeito, o ato de peregrinar é entendido como uma manifestação extraordinária da relação do homem com a Terra. Baseados em depoimentos de peregrinos da Romaria do Bonfim – Natividade-TO –, quando no exercício de suas experiências religiosas, textos com tom poético são apresentados e contextualizados como reinterpretações dos arranjos da pesquisa.


Palavras-chave


Peregrinação. Caminhar. Geograficidade

Texto completo:

PDF

Referências


BESSE, Jean-Marc. Geografia e Existência a partir da obra de Eric Dardel. In: DARDEL, Eric. O homem e a terra: natureza da realidade geográfica. São Paulo: Perspectiva, 2011. p.111-139.

BHARDWAJ, Surinder M. Geography and Pilgrimage: A Review. In: STODDARD, R.; MORINIS, A. (Orgs.). Sacred Places, Sacred Spaces – The Geography of Pilgrimage. Baton Rouge: Louisiana State University, 1997. p.1-23.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Os Deuses do Povo: Um Estudo sobre a Religião Popular. São Paulo: Brasiliense, 1986.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Orar com o corpo. Campinas: Verus, 2005.

CASSIRER, Ernst. Filosofia das formas simbólicas I: a linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

CLAVAL, Paul. Terra dos homens: a geografia. Trad. Domitila Madureira. São Paulo: Contexto, 2010.

COLLOT, Michel. Poética e filosofia da paisagem. Rio de Janeiro: Editora Oficina Raquel, 2013.

CRESSWELL, Tim; MERRIMAN, Peter (Ed.). Geographies of mobilities: practices, spaces, subjects. Farnham: Ashgate Publishing, 2011.

DARDEL, Eric. O homem e a terra: a natureza da realidade geográfica. Trad. Werther Holzer. São Paulo: Perspectiva, 2011.

GROS, Frédéric. Caminhar, uma filosofia. São Paulo: É Realizações, 2010.

HOLZER, Werther. A geografia fenomenológica de Eric Dardel. In: DARDEL, Eric. O homem e a terra: natureza da realidade geográfica. São Paulo: Perspectiva, 2011. p.141-153.

LABBUCCI, Adriano. Caminhar, uma revolução. Trad. Sérgio Maduro. São Paulo: Martins Fontes – selo Martins, 2013.

MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

NOVAES, André Reyes. Por uma Geografia Visual? Contribuições para o Estudo do uso das Imagens na Difusão do Conhecimento Geográfico. Espaço e Cultura, UERJ, RJ, n.30, p.6-22, Jul./Dez., 2011.

ROSENDAHL, Zeny. Primeiro a obrigação, depois a devoção: estratégias espaciais da Igreja Católica no Brasil de 1500 a 2005. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012.

SARAMAGO, Ligia. Topologia do ser: lugar, espaço e linguagem em Martin Heidegger. Rio de Janeiro: Loyola; PUC-Rio, 2008.

SOUZA, José Arilson Xavier de. Espaços de peregrinação: ver e sentir o sagrado na Romaria de Nosso Senhor do Bonfim – TO. 2017. 229 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Instituto de Geografia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: Difel, 1980.

TUAN, Yi-Fu. On Walking. 2012. Disponível em: . Acesso: 01 set. 2016.

TURNER, Victor. Dramas, campos e metáforas: Ação simbólica na sociedade humana. Niterói: EdUFF, 2008.




DOI: https://doi.org/10.22409/geograficidade2018.81.a12987

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Geograficidade

 

 

Logotipo do Crossref Licença Creative Commons

Todos os textos da revista Geograficidade, do Grupo de Pesquisa Geografia Cultural Humanista estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.