Chamada para v. 27, n. 57 (jan - abr 2022)

2020-12-11

Poesia e pensatividade: o poema filosofante

 Organização: Celia Pedrosa (UFF),  Patrícia Lavelle (PUC-RJ)

Publicação prevista: janeiro-abril de 2022 - Prazo para envio de originais: 31 de agosto de 2021

Encontramos hoje um interesse crescente pela poeticidade do discurso filosófico e, inversamente, pelo pensamento reflexivo em obra na produção poética. Nesta perspectiva, são significativos os projetos teóricos que fazem do diálogo com a poesia a motivação para uma revisão crítica da filosofia ou para a constituição de novos paradigmas teórico-metodológicos. É o caso, por exemplo, da metaforologia de Hans Blumenberg, que chama a atenção para a centralidade e a historicidade das construções metafóricas no interior dos sistemas filosóficos. Destacamos também a desconstrução de Jacques Derrida e seus desenvolvimentos em Paul de Man, a aproximação entre poética e política em Jacques Rancière, ou ainda o último livro de Hannah Arendt, A Vida do espírito, que encontra na poesia elementos importantes para pensar a dinâmica da apresentação de conteúdos abstratos na linguagem, para citar apenas alguns autores.

Nesse número da revista Gragoatá,  propomos recuperar e  atualizar  esse diálogo e essa confrontação, convidando a interrogar os usos que os próprios poemas fazem de recursos filosóficos. A poesia contemporânea, em especial, tem insistido numa relação outra com o pensamento reflexivo, de diferentes modos, seja por citações diretas ou indiretas de textos filosóficos, seja pela mobilização de questionamentos éticos, políticos ou estéticos na composição de poemas. É o que ocorre nas poéticas das brasileiras Orides Fontela,  Lu Menezes e Josely Vianna Baptista, dos portugueses António Franco Alexandre e Luís Quintais, do espanhol Leopoldo María Panero, do argentino Fabian Casas.  Tal reflexividade aparece ainda pela hibridação de procedimentos poéticos e  ensaísticos, como vemos, por exemplo, na produção da norte-americana Anne Carson ou da brasileira Marília Garcia. Na perspectiva dessas possibilidades de abertura da poesia à filosofia, destacamos também o trabalho editorial que a revista francesa Po&sie, dirigida pelo poeta Michel Déguy, vem realizando desde 1977. Visamos, assim, o exercício de uma perspectiva crítica que parte da materialidade enigmática dos poemas, atenta à diversidade de suas dicções, propostas e possibilidades interpretativas especificas.

Palavras-chave: poesia, pensamento, reflexividade