ETNICIDADE EM QUESTÃO NO SÉCULO IV A.C.: O DISCURSO PAN-HELÊNICO E O COSMOPOLITISMO CÍNICO-ESTOICO

Autores

  • Luís Felipe Bellintani Ribeiro Professor do Departamento de Filosofia e do Programa de Pós-Graduação em Filosofia (PGFI) da Universidade Federal Fluminense (UFF).
  • Roberto Torviso Neto Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.22409/rh.v3i2.10965

Palavras-chave:

Cinismo, cosmopolitismo, pan-helenismo, identidade, Grécia Clássica.

Resumo

O conceito de “cidadão do mundo” foi reinventado na modernidade, como parte de um projeto de mundo humanista. Foi na antiguidade, porém, que, segundo Diógenes Laercio e outros, Diógenes o cínico pela primeira vez se declarou kosmopolites. O conceito foi depois enfatizado pelos estoicos, em especial Sêneca e Musonio Rufo. Alguns historiadores tendem a ver a campanha de Alexandre Magno como a aplicação do projeto de cidade universal no mundo conhecido. Este texto tem por objetivo problematizar algumas questões concernentes ao cosmopolitismo helenístico, do ponto de vista histórico-factual e quanto a sua concepção intelectual e teórica.

Biografia do Autor

Luís Felipe Bellintani Ribeiro, Professor do Departamento de Filosofia e do Programa de Pós-Graduação em Filosofia (PGFI) da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Bacharel (1989), mestre (1992) e doutor (1998) em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com doutorado sanduíche na Universidade de Atenas (1996-7) e pós-doutorado na Universidade Paris IV (2004-5 e 2015-6).

Downloads

Publicado

2017-11-10