A IMPORTÂNCIA DA PRESENÇA DO CIRURGIÃO-DENTISTA NA EQUIPE MULTIDISCIPLINAR DAS UNIDADES DE TRATAMENTO INTENSIVO

Danielle Mendes da S. Albuquerque

Resumo


RESUMO

O objetivo do presente estudo foi analisar a importância da presença do cirurgião-dentista em equipe multidisciplinar nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs). Para tanto, foram selecionadas 11 unidades hospitalares do Estado do Rio de Janeiro. Como instrumento de pesquisa utilizou-se um questionário semiestruturado entregue aos profissionais responsáveis pelos cuidados da saúde bucal dos pacientes com variáveis relacionadas a procedimentos de higiene bucal e presença de doenças orais nos pacientes internados nestas unidades. Os resultados demonstraram que em 100% dos hospitais não foi encontrado um cirurgião-dentista na equipe multidisciplinar das UTIs. Em 72,70% das unidades era o enfermeiro, o profissional da saúde, responsável pelos procedimentos de higiene bucal dos pacientes internados. Este procedimento era realizado em 45,50% das unidades, duas vezes ao dia, sobre orientação de um profissional não especializado em 81,82% dos casos. Grande parte dos pacientes apresentava desordens bucais, como mau-hálito, cárie, gengivite e tártaro, e apesar disso não existia um profissional qualificado responsável pelo tratamento dessas enfermidades, sendo assim em 100% das unidades as doenças bucais não eram tratadas. Conclui-se que apesar da real e grande necessidade de um cirurgião-dentista nessas unidades, reconhecida inclusive pela maioria dos profissionais responsáveis pela higiene bucal, esta presença ainda não é efetiva, o que dificulta assim o correto tratamento de desordens bucais podendo contribuir para o surgimento e/ou agravamento de doenças sistêmicas.

Palavras-Chaves: Unidades de Terapia Intensiva. Odontologia. Higiene Bucal. Equipe de Assistência ao Paciente

 

ABSTRACT

The aim of this study was to analyze the importance of the presence of dentists in a multidisciplinary team in the Intensive Care Units (ICUs). To this end, we selected 11 hospitals in the state of Rio de Janeiro. As a research tool used a semi-structured questionnaire given to the professionals responsible for the care of the oral health of patients with variables related to oral hygiene procedures and presence of oral disease in hospitalized patients in these units. The results showed that 100% of the hospitals was not found a dental surgeon in the multidisciplinary team in ICUs. In 72.70% of the units was the nurse, the health professional responsible for oral hygiene procedures for inpatients. This procedure was performed in 45.50% of the units, twice a day, on guidance of a professional not specialized in 81.82% of cases. Most patients had oral disorders such as bad breath, tooth decay, gum disease and tartar, and there wasn’t qualified professional responsible for the treatment of these diseases, therefore 100% of the units were untreated oral diseases yet. It concludes that despite the real and great need for a dentist in these units, including recognized by most professionals responsible for oral hygiene, this presence is not yet effective, which make it difficult the correct treatment of oral disorders may contribute to the emergence and / or worsening of systemic diseases.

Keywords: Intensive Care Units. Dentistry. Oral hygiene. Patient Care Team

 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/ijosd.v1i45.330

Apontamentos

  • Não há apontamentos.