O USO DE BISFOSFONATOS CAUSA IMPLICAÇÕES NA MOVIMENTAÇÃO DENTÁRIA ORTODÔNTICA?

Autores

  • Saulo Lopes Centro Universitário Uninovafapi
  • Edson Ferreira
  • Elesbão Viana

Resumo

Bisfosfonatos são medicamentos que reduzem a reabsorção óssea, inibindo a atividade enzimática dos osteoclastos. Por essa razão, são amplamente utilizados no tratamento de várias doenças, como a osteoporose. Durante o tratamento ortodôntico, a aplicação de forças compressivas no dente promove a reabsorção e remodelação óssea, permitindo sua movimentação. Vários estudos in vivo observaram a diminuição da movimentação ortodôntica por bisfosfonatos, tornando o tema relevante devido à crescente demanda de tratamento ortodôntico em idosos – principais usuários dessa droga. Assim sendo, o objetivo deste trabalho é avaliar evidências do uso de bisfosfonatos no decorrer do tratamento ortodôntico e, mais especificamente, examinar seus efeitos na movimentação ortodôntica através de mensurações clínico-laboratoriais. Para isso, foi realizada uma revisão sistematizada na base de dados Pubmed através dos descritores Ortodontia e Bisfosfonatos. Buscou-se estudos em inglês entre 2015 e 2020. De 39 artigos compatíveis à proposta, 8 artigos passaram pelos critérios de inclusão e exclusão. Desses, a maioria dos autores é categórica em se referir ao uso de bisfosfonatos como um fator relevante para índices inferiores de movimentação. Porém, tais dados devem ser vistos com cautela, pois os métodos utilizados são variados, havendo uma grande heterogeneidade. Ademais, pequenas amostras e tempo curto dos experimentos não permitem uma generalização para pacientes de rotina. Como conclusão temos que a administração de bisfosfonatos associada à movimentação ortodôntica aparenta provocar uma duração prolongada no tratamento devido, fundamentalmente, aos índices inferiores de movimentação dentária planejada. Entretanto, os fatores específicos para tal não estão plenamente explicados.

Palavras-chave: Ortodontia. Bisfosfonatos. Movimentação Dentária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-03-03

Edição

Seção

Artigos