https://periodicos.uff.br/ijosd/issue/feed Revista Fluminense de Odontologia 2021-07-22T02:32:55+00:00 MARCOS DA VEIGA KALIL odontok@gmail.com Open Journal Systems <p>.<strong>O periódico " Revista Fluminense de Odontologia - International Journal Of Science Dentistry " é uma publicação iniciada em 1994 e um veículo de informação científica na área de odontologia, com contribuição de diversos campos afins. Sua periodicidade é semestral, podendo editar números suplementares e/ou especiais. Destina-se à divulgação de conhecimento específico no campo da odontologia, caracterizando-se como referência nacional para a área.</strong></p> https://periodicos.uff.br/ijosd/article/view/49889 OS PRIMEIROS PASSOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE UM BANCO DE DENTES HUMANOS NA FACULDADE DE ODONTOLOGIA - UFF 2021-05-05T15:31:04+00:00 Ana Carolina de Carvalho Maciel / Maciel, A. C. C. anacarolina.maciel86@gmail.com Mariana Campos Baptista da Silva email@gmail.com Sara Martins de Souza email@gmail.com Wilton da Silveira Chaves Júnior email@gmail.com Jéssica Perrut Rodrigues email@gmail.com Felipe Gonçalves Belladonna email@gmail.com <p>RESUMO</p> <p>&nbsp;</p> <p>O Banco de Dentes Humanos (BDH) é uma instituição sem fins lucrativos, vinculada a uma faculdade, universidade ou instituição com o propósito de suprir as necessidades acadêmicas, através do fornecimento de dentes humanos para estudo e treinamento laboratorial dos alunos dos cursos de graduação e pós-graduação. Assim, o presente trabalho teve como objetivo relatar os métodos utilizados para captação, tratamento, seleção, preservação, armazenamento e reutilização de dentes humanos extraídos, realizados por alunos da Faculdade de Odontologia (FO) da Universidade Federal Fluminense (UFF) através de dois projetos deferidos junto a PROAES-UFF. Para isso, foram realizadas campanhas de conscientização e programas de divulgação para a doação de dentes humanos extraídos permanentes e decíduos tanto para a comunidade científica odontológica como para a comunidade leiga. Após 24 meses, foram captados um total de 2.536 dentes, sendo 346 molares superiores, 279 molares inferiores, 262 pré-molares superiores, 418 pré-molares inferiores, 343 caninos, 296 incisivos superiores e 592 incisivos inferiores. As campanhas e ações dos projetos da PROAES-UFF foram eficientes para coletar dentes humanos, suprindo as atividades laboratoriais de diversas disciplinas na graduação e também servindo de estoque para a futura implementação do BDH da FO-UFF.</p> 2021-05-17T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Vol. 1 Número 57 https://periodicos.uff.br/ijosd/article/view/49900 SUPERIOR LABIAL FRENECTOMY BY DOUBLE CLAMPING TECHNIQUE: CLINICAL CASE REPORT 2021-05-05T22:46:56+00:00 Anna Carolina Andrade de Souza Vasconcelos rodcastrorez@gmail.com Fernanda Britto de Melo Silva email@gmail.com Suelen Cristina Sartoretto email@gmail.com Marcelo José Uzeda email@gmail.com Rodrigo Figueiredo de Brito Resende email@gmail.com <p>&nbsp;The lip brake is a fold in the oral mucosa, originating in the upper lip and insertion in the alveolar mucosa. At birth, the labial frenum may be inserted in the palatal papilla. As the individual grows, he can migrate to a more upper region, featuring a normal lip curl. However, when it remains inserted in the papilla, it is a case of hypertrophic lip curl. When pathological, this structure can promote the formation of interincisal diastema, periodontal pocket, gingival retraction, aesthetic problems, difficulties in phonation and brushing. The objective of this article is to report a clinical case of upper lip frenectomy using the double clamping technique or Archer technique, performed at the Oral Minor Surgery clinic of the Dentistry School of the Federal Fluminense University, in a male patient, leucoderma, 23 years old, indicated by his orthodontist after recurrence of interincisal diastema. From the procedure performed, it can be concluded that the surgical intervention and the applied technique were effective in solving the reported clinical case.</p> 2021-05-17T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Fluminense de Odontologia https://periodicos.uff.br/ijosd/article/view/49965 PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DAS FRATURAS DE FACE: UMA REVISÃO DE LITERATURA 2021-05-11T02:17:34+00:00 RODRIGO DE SOUZA VIANA enfrodrigosv@hotmail.com Jackeline Nogueira de Paula Barros email@gmail.com <p>As fraturas de face são um problema de saúde pública que afeta a qualidade de <br />vida dos indivíduos que sofreram esse agravo. Sabendo-se da importância dos estudos <br />epidemiológicos para o enfrentamento desse problema, este trabalho teve como objetivo <br />traçar o perfil epidemiológico das fraturas de face, contribuindo assim, para a elaboração <br />de políticas públicas mais eficazes e tratamento adequado. Para isso foi ralizada uma <br />revisão de literatura nas principais bases de dados, Literatura Latino-Americana e do <br />Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Medical Literature Analysis and Retrievel <br />System Online (MEDLINE) e Bibliografia Brasileira de Odontologia (BBO) através da <br />Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) e diretamente pela interface da Literature Analysis <br />(PubMed/MEDLINE), nos últimos 20 anos, contemplando populações, culturas e faixas <br />etárias heterogêneas. Observou-se que o sexo masculino foi o mais acometido e sua <br />incidência foi maior entre os jovens, as principais etiologias foram às agressões físicas e <br />os acidentes de transito sobretudo com o envolvimento de motocicletas associado ao uso <br />de álcool e drogas. Os ossos nasais e a mandíbula foram as estruturas que sofreram mais <br />fraturas e o tratamento mais utilizado foi a redução fechada. Neste contexto, faz-se <br />necessário medidas ao combate às desigualdades sociais e desemprego, incentivo à <br />educação e intensificação das leis de trânsito.<strong> </strong></p> <p><strong>Palavras-Chave: </strong>Traumatismo facial; Epidemiologia; Fratura </p> 2021-06-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Fluminense de Odontologia https://periodicos.uff.br/ijosd/article/view/45893 TRATAMENTO DE FRATURA ISOLADA DO ARCO ZIGOMÁTICO – RELATO DE CASO 2020-09-13T09:24:02+00:00 Antônio José Araújo Pereira Júnior apereirabucomaxilo@yahoo.com.br Isabela Possas da Fonseca Pereira contato@gmail.com Haniel Henrique Dutra Clemente contato@gmail.com Heloísa de Souza Rodrigues contato@gmail.com <p>Devido ao comprometimento estético funcional, as fraturas do arco zigomático (AZ) devem ser abordadas, o mais breve possível, com o objetivo de minimizar as sequelas. Há várias formas de tratamento descritas na literatura. O objetivo deste trabalho é relatar um caso clínico de fratura isolada do AZ tratada pela técnica de Keen sob anestesia local.</p> 2021-07-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Fluminense de Odontologia https://periodicos.uff.br/ijosd/article/view/50762 DOENÇAS PERI-IMPLANTARES E FATORES DE RISCO ASSOCIADOS AO PACIENTE, QUE LEVAM A PERDA DO IMPLANTE – UMA REVISÃO 2021-07-07T21:32:32+00:00 Bruno Pires Miranda email@gmail.com Eduardo Moreira da Silva email@gmail.com Helba Pires Miranda email@gmail.com Marcos da Veiga Kalil odontok@gmail.com Marcos Antônio Albuquerque de Senna email@gmail.com <p>Os tecidos moles periodontais e peri- implantares possuem muitas características em comum, &nbsp;tanto clínicas como histológicas. Para controle e manutenção adequados destes tecidos, é necessário melhor entendimento das diferenças e similaridades &nbsp;que existem entre eles.</p> <p>Os biofilmes se formam em todas as superfícies aderentes em sistemas fluidos, tanto em dentes como em implantes orais. Como um resultado da presença bacteriana, o hospedeiro responde desenvolvendo um mec anismo de defesa que levará à inflamaç ão dos tecidos moles. Na unidade dentogengival, os resultados são as lesões de gengivite. Na unidade implantar, essa inflamaç ão é denominada de muc osite. Se for permitido o acúmulo de placa por períodos prolongados de tempo, pesquisas experimentais demonstraram que a muc osite pode evoluir para peri-implantite, isto na dependência dos fatores e indicadores de risc o, afetando o osso peri- implantar de suporte circunferencialmente. Embora o osso de suporte seja perdido coronalmente, o implante ainda permanec erá ósseo integrado e, portanto, clinicamente estável. Essa é a razão pela qual a mobilidade representa uma característica de diagnóstico de peri-implantite pouco sensível, mas específica. Parâmetros mais sensíveis e confiáveis do desenvolvimento e da presença de infecções peri- implantares são o sangramento a sondagem, profundidade de sondagem e a interpretações radiográficas , visam detectar o mais cedo possível as lesões peri-implantares, possibilitando assim que o tratamento, que nessa revisão é descrito como sendo cumulativo, começ ando por procedimentos mais simples até os mais avançados, tendo em vista,&nbsp; paralisar e evitar a progressão dessas lesões, o que fatalmente resultaria no fracasso do implante.</p> 2021-07-07T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 https://periodicos.uff.br/ijosd/article/view/50763 IMPLANTES IMEDIATOS, E SEUS DEFEITOS PERI-IMPLANTARES (GAP) PREENCHIDOS COM O USO DE BIOMATERIAS SINTÉTICOS. 2021-07-07T21:56:55+00:00 Bruno Pires Miranda email@gmail.com Eduardo Moreira da Silva email@gmail.com Helba Pires Miranda email@gmail.com Marcos da Veiga Kalil odontok@gmail.com Marcos Antônio Albuquerque de Senna email@gmail.com <p>A colocação de implantes osseointegráveis requer volume ósseo adequado, porém, a extração de dentes leva a diferentes padrões de remodelaç ão e reabsorção óssea. A reabsorção do rebordo alveolar tem sido considerada uma consequência inevitável da extração dentária e pode ser um problema significativo em Implantodontia. Após a extração dentária, mesmo com a instalação de implantes imediatos, o sítio desdentado do processo alveolar sofre substancial&nbsp; modelagem óssea, com a diminuiç ão das dimensões da crista alveolar. Após a inserção de um implante em um local de extração fresco, um defeito marginal (GAP) ocorre, frequentemente, entre o rebordo e a superfície do implante, A fim de superar esse problema&nbsp; e&nbsp; para facilitar a formaç ão de osso no defeito marginal, vários processos de enxerto têm sido utilizados, associados ou não ao uso de membranas de barreira, bem como diversos tipos de substitutos ósseos que podem ser utilizados para tal procedimento. Esse trabalho tem por objetivo revisar e discutir a literatura relacionada ao uso de biomateriais sintéticos para preenchimento desses defeitos que se formam ao redor &nbsp;de &nbsp;implantes instalados em alvéolos frescos. No entanto, ainda não existe um biomaterial ideal que possua todas as pro- priedades desejáveis. Além disso, o volume de osso residual deve ser avaliado antes da extração de dentes, de modo que os cirurgiões possam utilizar técnicas diferentes para preservar o osso alveolar.</p> <p><strong>Palavras-chave: </strong>implantes dentários, transplante ósseo, materiais biocompatíveis.</p> 2021-07-07T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 https://periodicos.uff.br/ijosd/article/view/30472 REGENERAÇÃO ÓSSEA GUIADA DE ALVÉOLOS DE EXTRAÇÃO DENTÁRIO- UMA REVISÃO 2017-04-19T12:03:43+00:00 Bruno Pires Miranda brunopiresmiranda7@gmail.com Marcos da Veiga Kalil odontok@gmail.com Aristides Rosa Pineiro email@gmail.com <p class="western"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><strong>Resumo</strong></span></p> <p class="western"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;">O osso é um tecido conjuntivo especializado, vascularizado e dinâmico que se modifica ao longo do organismo. Quando lesado, possui uma capacidade única de regeneração e reparação sem a presença de cicatrizes, mas em algumas situações devido tamanho do defeito ósseo não se regenera por completo. Assim, se faz necessária a realização de procedimentos de regeneração óssea guiada. Para isso, o implantodontista deve conhecer as bases biológicas da regeneração óssea guiada alveolar e suas indicações. Nesta revisão foram abordadas indicações, vantagens e tipos de biomateriais utilizados para preenchimento do alvéolo dentário imediatamente após a extração dentária sempre que o objetivo for à reabilitação através da instalação de implantes. Mesmo este, biomateriais, apresentando inúmeras qualidades, estudos ainda devem ser feitos a fim de obter a cada dia, um material sintético compatível com o tecido ósseo perdido em quantidades adequadas sem necessitar de cirurgias extra-bucais.</span></p><p class="western"><span style="color: #222222;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><strong><span>ABSTRACT</span></strong></span></span></p> <p class="western" lang="pt-PT"><span style="color: #222222;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span lang="pt-BR"><span>Bone is a specialized vascularized connective tissue that dynamic changes throughout the body. When injured, it has a unique ability to regenerate and repair without the presence of scars, but in some situations due to size of the bone defect does not regenerate completely. Thus, it is necessary to perform guided bone regeneration procedures. For this, the implant dentistry must know the biological bases of alveolar guided bone regeneration and its indications. In this review were addressed indications, advantages and types of biomaterials used for filling the tooth socket immediately after the tooth extraction whenever the goal is rehabilitation through implants installation. Even this, biomaterials, having several qualities, further studies must be done to obtain each day, a synthetic material compatible with the bone tissue lost in proper amounts without the need of extra-oral surgery. </span></span></span></span></p><p class="western"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><br /></span></p> 2016-07-05T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2019 International Journal of Science Dentistry https://periodicos.uff.br/ijosd/article/view/50850 PASSO-A-PASSO PARA UTILIZAÇÃO DE FIBRINA RICA EM PLAQUETAS COMO AGENTE HEMOSTÁTICO APÓS EXODONTIA : DESCRIÇÃO DA TÉCNICA 2021-07-15T02:40:41+00:00 Amanda Vidal de Sousa email@gmail.com Elisa Siqueira Mendes email@gmail.com Leticia Gonçalves Ferreira email@gmail.com Fernanda Britto de Melo email@gmail.com Carlos Fernando de Almeida Barros Mourão email@gmail.com Mônica Diuana Calasans-Maia email@gmail.com Suelen Cristina Sartoretto email@gmail.com Marcelo José Uzeda email@gmail.com Rodrigo Figueiredo de Brito Resende email@gmail.com <p>A extração dentária é um dos procedimentos mais frequentes em cirurgia oral e maxilofacial e está relacionada a mudanças fisiológicas no processo alveolar. Neste sentido, entre as principais complicações transoperatórias está a hemorragia, que ocorre geralmente devido a lesões de vasos sanguíneos presentes no alvéolo dentário onde se realizou a exodontia. Uma alternativa para se obter a hemostasia é a utilização da Fibrina Rica em Plaquetas (PRF), um concentrado leucoplaquetário, obtido através do sangue do paciente. A membrana obtida é rica em leucócitos, plaquetas e fatores de crescimento que promovem a modulação de células envolvidas no processo de cicatrização, favorecendo um melhor e mais rápido reparo das lesões cirúrgicas. Esta matriz de fibrina apresenta diversas utilidades para a odontologia, demonstrando bons resultados, além do baixo custo e fácil obtenção. O objetivo deste artigo é descrever a técnica de obtenção da PRF usada como agente hemostático após exodontia, orientando assim, sua reprodutibilidade e utilização.</p> <p><strong>Palavras-chave: </strong>Fibrina Rica em Plaquetas; hemostático; odontologia; exodontia.</p> 2021-07-14T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 https://periodicos.uff.br/ijosd/article/view/50960 BIOMARCADORES SALIVARES DO CARCINOMA DE CÉLULAS ESCAMOSAS 2021-07-21T02:26:14+00:00 Helba Pires Miranda email@gmail.com Bruno Pires Miranda email@gmail.com Monica Lage da Rocha email@gmail.com William Napolitano Correa email@gmail.com Marcos da Veiga Kalil email@gmail.com <p>O carcinoma de células escamosas (OSCC) é uma neoplasia maligna que atinge a cavidade oral, lábios e orofaringe com uma das maiores taxa de mortalidade em todo o mundo, quando em comparação com outros carcinomas, o que o torna um problema de saúde pública (MORO, 2018). Devido à sua grande prevalência, os pesquisadores buscam por mecanismos para aprimorar o diagnóstico da doença em sua fase inicial, no intuito de possibilitar melhor qualidade de vida e sobrevida a esses pacientes (CHENG et al., 2014).</p> <p>Tem-se desenvolvido estudos através da expressão de proteínas, envolvendo o mecanismo biomolecular da carcinogênese oral na busca de identificação de biomarcadores que tenham potencial preditivo e um bom prognóstico para OSCC (CARVALHO; OLIVEIRA, 2015; LOUSADA-FERNANDEZ et at., 2018).</p> <p>Em uma revisão sobre o genoma salivar do câncer oral, este destacou-se justamente pelo fato de suas proteínas estarem localmente expressas (SHAH et at., 2011), tornando seus biomarcadores salivares de fácil e rápida coleta, já que a proliferação desordenada de células malignas deixa derivados de DNA, RNA, vesiculas (exossomos) e marcadores proteicos nos fluidos creviculares, podendo demostrar de forma preventiva o câncer. Com isso, esses biomarcadores podem ser identificados na fase inicial da doença, ao contrário do exame clínico, já que as manifestações clínicas são tardias, o que gera um prognóstico ruim (LOUSADA-FERNANDEZ et al., 2018).</p> <p>Diante desse quadro, o objetivo deste trabalho foi fazer uma revisão de literatura acerca do papel dos biomarcadores tumorais e discutir sobre a atual situação do câncer bucal, justificando o uso de biomarcadores salivares e entendendo seu papel no diagnóstico precoce.</p> <p>Para isso foi feita uma busca detalhada nas bases de dados Pubmed-Medline, Biblioteca Virtual em Saúde, Lilacs e Scielo, para identificar os mais recentes biomarcadores citados nas literaturas ultilizando as palavras-chaves: carcinoma, biomarcadores, saliva. Também foram incluídos dados coletados da Organização Mundial da Saúde e do Instituto Nacional do Câncer.</p> 2021-07-20T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 https://periodicos.uff.br/ijosd/article/view/50978 PLATAFORMA CONE MORSE, O IMPLANTE COM RESOLUÇÃO PROTÉTICA ESTÉTICA, COM OS TECIDOS PERI-IMPLANTARES 2021-07-22T02:32:55+00:00 Bruno Pires Miranda email@gmail.com Jessica Samile Silva Goveia email@gmail.com Helba Pires Miranda email@gmail.com Marcos da Veiga Kalil email@gmail.com <p>Os problemas decorrentes de perdas dentárias em áreas estéticas têm sido motivo de intensa dedicação científica e empenho clínico a fim de alcançar estabilidade mecânica e estética favoráveis. O advento dos implantes dentários-osseointegráveis supriu quesitos de suporte mecânico; no entanto, a remodelação óssea cervical ao redor de implantes com plataforma convencional pode comprometer significativamente a manutenção dos tecidos peri-implantares, gerando sérios agravos estéticos. Atualmente, o objetivo da instalação de implantes Cone Morse vai além de atender a uma tendência evolutiva em Implantodontia, proporcionando a manutenção das características teciduais peri-implantares e o favorecimento da confecção de próteses estéticas, direcionando todo o processo terapêutico a possibilitar perfil de emergência ideal e relacionamento natural e harmonioso com os tecidos circunjacentes. Logo, essa revisão bibliográfica tem o intuito de apresentar tais características, que conferem um alto índice de sucesso e de longevidade das peças protéticas, garantindo maior previsibilidade de manutenção das condições em reabilitações protéticas.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Palavras-chave: </strong>Plataforma Cone Morse, prótese dentária, implante.</p> 2021-07-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021