Causas de condenações post-mortem de perus abatidos em estabelecimento com Serviço de Inspeção Federal (SIF) no estado de Minas Gerais, Brasil

Mariela Silva Moura, Dênio Oliveira Reis, Rafael Silveira Carreon, Lúcio Borges Araújo, Mirian Fernandes Carvalho Araújo, Kênia de Fátima Carrijo, Rone Cardoso

Resumo


 

Este estudo objetivou identificar as principais causas de condenações de perus abatidos sob Serviço de Inspeção Federal, além de verificar as estações do ano em que as condenações são mais frequentes. Foram utilizados dados do Serviço de Inspeção Federal de um matadouro-frigorífico exportador de aves localizado na mesorregião do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, Minas Gerais, no período compreendido entre agosto de 2008 a julho de 2009. Foram inspecionadas 8.153.866 aves, procedentes de 19 municípios localizados nesta mesorregião. Destas, 1.767.503 (21,68%), tiveram algum tipo de condenação post-mortem. As principais causas de condenação (parcial e total) foram agrupadas segundo o mês e estação do ano, a fim de se verificar quais foram as condenações de maior e menor frequência. Foram condenados parcialmente 1.750.863 perus (21,47%) e 16.640 (0,21%) foram condenados totalmente. Dentre o número total de condenações post-mortem, 99,06% foi devido a condenações parciais e 0,94% devido a condenações totais. As causas de condenação parcial mais frequentes foram devido à aerossaculite (41,24%), seguida de contaminação biliar (23,73%). As causas de condenação total mais frequentes foram em função de aspecto repugnante (51,62%) e dermatose (22,71%). A estação do ano que apresentou maior frequência de condenações tanto totais quanto parciais foi a primavera. Verificou-se que na mesorregião analisada, as condenações encontradas foram em sua maioria, em função de causas infecciosas, sugerindo uma melhoria no manejo sanitário dos animais durante a criação, sobretudo na primavera.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV