Uso de ropivacaína a 0,5% em anestesia peribulbar de gatos

Francisco Cláudio Dantas Mota, Duvaldo Eurides, Patricia Maria Coletto Freitas, Marco Antonio de Andrade Belo, Vando Edésio Soares, Luana Alexandra Fatoretto

Resumo


Objetivou-se verificar a eficiência da ropivacaína na anestesia peribulbar em 10 gatos adultos sem raça definida, machos efêmeas com peso variando de 2 a 3 kg. Os animais foram anestesiados com clorpromazina (1,0 mg/kg VO) e propofol (3,0mg/kg IV). Foi introduzida uma agulha hipodérmica de 13 x 3,8 mm em forma de “L” na porção dorsal da cavidade orbitáriaem direção ao fórnice, e administrado 1,0 mg/kg de ropivacaína a 0,5%. Decorridos 10 minutos e um segundo observou-seproptose com duração de 100 minutos e seis segundos e perda do reflexo corneano após 10 minutos e cinco segundos, emmédia, com permanência de 124 minutos e dois segundos. O globo ocular manteve-se concêntrico por 121 minutos e cincosegundos, sem nistagmo. A ropivacaína a 0,5% no bloqueio peribulbar em gatos, ocasiona centralização do globo ocular eabole os reflexos corneanos.

Palavras-chave


gatos, ropivacaína, peribulbar, anestesia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV