Cestóides Trypanorhyncha parasitos de peroá, Balistes capriscus Gmelin, 1789 comercializados no estado do Rio de Janeiro, Brasil

Fátima de J. E. Dias, Sérgio C. de São Clemente, Marcelo Knoff

Resumo


Entre junho de 2005 e agosto de 2006 foram adquiridos 100 espécimes de peroá, Balistes capriscus Gmelin, 1789, emestabelecimentos de pescado nos municípios de Niterói e Rio de Janeiro. Os peixes foram medidos, necropsiados, filetadose seus órgãos analisados. Destes espécimes analisados 9 peixes estavam parasitados por plerocercos pertencentes àespécie Callitetrarhynchus gracilis e C. speciosus, apresentando respectivamente, 9% e 2% de prevalência, 14,4 e 1 deintensidade média e 0,13 e 0,02 de abundância média, amplitude da variação da intensidade de infecção em C. gracilis foide 1 a 32 e C. speciosus apresentou um parasito por peixe, sendo os sítios de infecção, respectivamente, mesentério efígado, e mesentério. Estas duas espécies são relatadas pela primeira vez em B. capriscus.

Palavras-chave


Trypanorhyncha, Callitetrarhynchus gracilis, Callitetrarhynchus speciosus, Balistes capriscus

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV