Celulite associada às lesões na bolsa de Fabrício de frangos de corte ao abate, sob inspeção sanitária

Fernanda Martinez Xavier Alves, Virginia Léo de Almeida Pereira, Elmiro Rosendo do Nascimento, Antônio Marco Pastore Guimarães, Davi de Oliveira Almeida, Rogério Tortelly

Resumo


Foi realizado um estudo epidemiológico de caso controle, onde foram avaliados 128 frangos de corte, entre 40 e 48 dias deidade, sob inspeção sanitária, vacinados contra a Doença Infecciosa da Bolsa de Fabrício (DIB) no 14o dia de vida (via água debebida). O grupo caso foi constituído por 68 aves portadoras de celulite e o grupo controle, por 60 aves sem a doença. Asbolsas de Fabrício foram medidas em bursômetro e registradas de acordo com sua escala. Após o exame macroscópicoforam coletados fragmentos de pele, lesada e íntegra, e de bolsa de Fabrício, fixados em formol a 10%, para a realização dahistopatologia. Foi criado o seguinte escore para análise histológica das lesões: escore 0 – sem lesão; escore 1 – discretashiperplasia e rarefação linfóide de folículos; 2 – edema, infiltrado inflamatório, necrose de folículos, rarefação linfóide severa eatrofia discreta de folículos; escore 3 – presença de cistos foliculares e epiteliais, atrofia severa de folículos e fibrose. A análiseestatística constou dos testes de qui-quadrado Kruskall-Wallys e Regressão Linear. A mensuração do bursômetro mostrou,no grupo caso 28 frangos com bolsas de diâmetro 10mm (tamanho 3); 37, com diâmetro 13mm (tamanho 4); três, comdiâmetro 16mm (tamanho 5); e no grupo controle 26 frangos com bolsas de diâmetro 10mm (tamanho 3); 31, com diâmetro13mm (tamanho 4); três, de diâmetro 16mm (tamanho 5). Macroscopicamente não foram observadas alterações.Microscopicamente foram registrados uma bolsa com escore 0; três, com escore 1; 25, com escore 2; e 99, com escore 3.Houve diferença estatística (p< 0,05) entre os grupos caso e controle em relação ao diâmetro e aos escores de lesão de bolsade Fabrício obtidos. Conclui-se que lesões amareladas em placas no subcutâneo de frangos de corte devem ser consideradascomo celulite, e critério para julgamento da carcaça, e são favorecidas pelas lesões mais graves na bolsa de Fabrício.

Palavras-chave


frango de corte, bolsa de Fabrício, imunodepressão, celulite, histopatologia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV