Inseminação artificial de ovelhas da raça Santa Inês com sêmen diluído em água de coco in natura e em pó

Emmanuelle Lima de Figueirêdo, José Ferreira Nunes, Marina Albuquerque Cordeiro, Priscila Teixeira de Souza, Renato Nogueira Diógenes Filho, Virgílio Emanuel Vieira, Artur Henrique Soares da Silva Filho, Fernando Lucas Torres de Mesquita, Cristiane Clemente de Mello Salgueiro, José Valmir Feitosa

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar a fertilidade de ovelhas após inseminação (IA) com sêmen diluído em água de coco in natura(ACIN) e em pó (ACP-102) e resfriado a 4°C por 24 horas, durante a época chuvosa e seca no estado do Ceará. As ovelhas(n=208) foram previamente submetidas a tratamento hormonal com MAP (50mg) e e.C.G. (200 UI). As ovelhas foram distribuídasem quatro grupos experimentais para a inseminação artificial: grupo 1 (época chuvosa + ACIN = 47); grupo 2 (época chuvosa+ ACP-102 = 47); grupo 3 (época seca + ACIN = 60); e grupo 4 (época seca + ACP-102 = 54). As IA foram realizadas entre 50 e55 horas após a retirada das esponjas com sêmen resfriado por 24 horas. Não foi observada diferença significativa (P>0,05)entre os diluentes testados (ACIN=74,77% vs. ACP-102=72,28%). Com relação à época da IA, verificou-se uma maior taxa deprenhez durante a época seca (81,58%) do que na chuvosa (63,82%) (P<0,05). Conclui-se que ambos diluentes à base deágua de coco apresentam boa capacidade conservadora, pois mantêm o sêmen ovino viável e com níveis satisfatórios defertilidade mesmo após 24 horas de resfriamento a 4°C. Independentemente do diluente utilizado, a época da IA no estado doCeará pode influenciar a taxa de prenhez em ovelhas.

Palavras-chave


inseminação artificial, ovelhas, ACIN, ACP-102, resfriamento

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV