Celulite em frangos de corte abatidos sob inspeção sanitária: aspectos anatomopatológicos associados ao isolamento de Escherichia coli

Thaís Badini Vieira, Robson Maia Franco, Helena Magalhães, Carla Inês Soares Praxedes, Rogerio Tortelly

Resumo


Objetivou-se descrever lesões macroscópicas e microscópicas consideradas típicas da celulite e sua associação com apresença de E.coli. Para esta pesquisa utilizaram-se 20 frangos de corte. Foram colhidas amostras de pele de dez carcaçascom suspeita de celulite e dez sem alterações macroscópicas, constituindo o grupo controle. As amostras de pele das dezaves com suspeitas de celulite mostraram úlcera cutânea, sendo que quatro apresentaram espessamento de pele, alteraçõesna coloração tendendo ao amarelo-avermelhado e irregularidade na superfície cutânea. Ao corte observaram-se fluido gelatinosoe placas amarelas destacáveis e em alguns casos acometimento da musculatura adjacente. As lesões suspeitas de celuliteforam confirmadas histologicamente através de aspectos microscópicos específicos da lesão, que se caracterizou por placasfibrinosas ricas em restos celulares, envoltas por infiltrado inflamatório rico em heterófilos ou histiócitos e células gigantesmultinucleadas. Na análise bacteriológica foi isolada E.coli em 100% das lesões de celulite. Como a inspeção veterináriarealizada nos matadouros é essencialmente macroscópica, a análise histopatológica torna-se uma ferramenta importantepara a confirmação do diagnóstico, permitindo uma rápida diferenciação entre as demais lesões cutâneas. Além disso, aanálise bacteriológica permite afirmar que estirpes de E.coli estão freqüentemente associadas a lesões de celulite, tornandoesta enfermidade ainda mais relevante em termos de saúde pública.

Palavras-chave


frangos de corte; celulite; histopatologia; Escherichia coli

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV