Implante de segmento de silicone no subcutâneo de cães

Saulo Fernandes Mano de Carvalho, Marco Túlio Carrijo Pereira, Tânia Berbert Ferreira Lima

Resumo


Para verificar a biocompatibilidade do silicone polidimetilsiloxano foi implantado cirurgicamente um segmento de 0,5 x 2,0 x2,0cm no tecido subcutâneo do dorso da aurícula e da região escapular de seis cães sem raça definida, fêmeas, com idadede dois a quatro anos. Não ocorreu reação do tipo rejeição com os segmentos de silicone. Observou-se reação fibrosa, compresença de fibras colágenas, células mononucleares linfócitos, plasmócitos, histiócitos, poucos polimorfonucleares e grandequantidade de fibroblastos, com formação de uma fina camada de tecido conjuntivo denso. O polidimetilsiloxano ébiocompatível quando implantado no subcutâneo da região escapular e no dorso da aurícula de cães.

Palavras-chave


cão, prótese, implante, cirurgia, silicone

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV