Prevalência de anticorpos contra Babesia bovis (Babés, 1888) e B. bigemina (Smith e Kilborne, 1893) (Apicomplexa: Babesiidae) em bovinos de quatro municípios do Estado do Rio de Janeiro

Cláudio Roberto Madruga, Marcos Moreira Braga, Denise Botelho Oliveira, Carlos Luiz Massard, Cleber Oliveira Soares

Resumo


Realizou-se urn levantamento sorológico para o diagnóstico de anticorpos da classe lgG contra 8. bovis e 8. bigeminautilizando-se o teste de imunofluorescência indireta (IFI). No total examinou-se 218 soros colhidos em quatro municípios dediferentes regiões do Estado do Rio de Janeiro. A soroprevalência encontrada foi de 82,11% para 8. bovis e 94,03% para 8.bigemina. Oitenta e três soros foram examinados comparativamente nos testes de IFI e teste de conglutinação rápida emplaca (TCR). Os resultados, soropositivos, foram 87,95% e 92,77% na IFI e 85,54% e 98,79% no TCR, respectivamente, para8. bovis e 8. bigemina. Estes dados indicam que os municípios estudados são áreas de estabilidade enzoótica. A análise devariância indicou que o TCR tem sensibilidade idêntica a da I FI, não diferindo significativamente (P 3 0,05), tanto no diagnósticode anticorpos contra 8. bovis, como contra 8. bigemina. Estes dados indicam que o TCR é uma técnica viável para estudos soroepidemiológicos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV