Caracterização físico-química do colostro de búfalas na primeira ordenha pós-parto por meio de absorção infravermelha

Emerson Gabriel dos Santos Oliveira, Adriano Henrique do Nascimento Rangel, Danielle Calvalcanti Sales, Joadilza da Silva Bezerra, Emanuelle Patrícia Enrique da Silva, Yhelda Maria de Oliveira Silva, Luiz Henrique Fernandes Borba, Dorgival Morais de Lima Júnior

Resumo


Objetivou-se caracterizar o colostro da primeira ordenha de búfalas da raça Murrah utilizando a metodologia não oficial de absorção
infravermelha. Para isso, foram colhidas amostras individuais de 42 fêmeas multíparas, por meio de ordenha manual. As amostras
foram coletadas em até 12 h após o parto e encaminhadas para determinação de gordura, proteína, lactose, sólidos totais e sólidos
não gordurosos por meio de absorção infravermelha. Realizamos também a contagem de células somáticas (CCS) e leitura de
condutividade elétrica (CE) do colostro. Os dados foram submetidos à análise estatística descritiva através do procedimento proc
means. Os valores de condutividade elétrica foram divididos em quatro classes e as médias das características físico-químicas
das diferentes classes foram comparadas pelo teste T com 5% de significância. Também foi realizada análise de correlação entre
as características químicas, CCS e CE do colostro. Foram obtidas médias de 4,34 ± 3,24% para gordura, 11,88 ± 3,93% para
proteína, 2,54 ± 0,9% para lactose, 10,01 ± 3,33% para caseína, 26,56 ± 4,18% para sólidos totais, 16,20 ± 3,70% para sólidos
não gordurosos, 316,86 ± 341,56 mil células somáticas, e 4,44 ± 0,81 mS cm-1 para condutividade elétrica do colostro. O colostro
de búfalas ordenhadas em até 12h pós-parto apresenta elevado teor de proteína. Além disso, observamos que quanto maior a
leitura da condutividade elétrica, menores são os percentuais de proteína, caseína e sólidos não gordurosos no colostro.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV