O lobby da Saúde na Constituinte 87-88: uma análise das estratégias organizativas

Autores

  • Lucas Nascimento Ferraz Costa FGV/EAESP

Resumo

Neste artigo analisamos as distintas estratégias organizativas dos grupos de interesse na área da Saúde, durante o processo constituinte de 1987-88. Sustentamos, como hipótese geral, que a capacidade de gerar e manter uma estratégia centralizadora, por meio da formação de coalizões que agregassem interesses comuns em um único bloco coeso, determinou o potencial de influência destes grupos. A relevância desta variável (estratégia centralizadora) é condicionada pela configuração das redes dos grupos de interesse e a posição da coalizão ao longo de um espectro de interesses: quanto mais distante do centro ela se localize, mais relevante é a variável. Nossos resultados foram obtidos por meio de análise empírica de fontes primárias, especialmente das atas e diários das subcomissões e comissões da Assembleia Nacional Constituinte e são demonstradas através de gráficos de redes sociais.
Palavras-chave: Lobby. Saúde. Processos Constituintes. Gráficos de Redes Sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Nascimento Ferraz Costa, FGV/EAESP

Pós-doutorado em Ciência Política FGV/EAESP; Pesquisador vinculado ao Centro de Política e Economia do Setor Público (CEPESP); Pesquisador financiado pela FAPESP (2018/05607-4).

Downloads

Publicado

2021-06-11

Edição

Seção

Artigos