Subjetividades intoxicadas, desempenho e o mercado da performance educacional

Flávia Cristina Silveira Lemos, Antonino Alves da Silva, Feliciana Ueyama, Wagner Dias Caldeira

Resumo


Esse artigo aborda, em formato conceitual, uma problematização do mercado da educação em saúde enquanto dispositivo de governo da vida, no contemporâneo. A compra, a venda, a negociação, o investimento, empreendedorismo e tóxicos a eliminar se tornam palavras de ordem, na rede de práticas prescritas para realizar subjetividades empresariais, dirigidas ao lucro e alto rendimento com máxima submissão política e com ganhos econômicas cada vez maiores. Pensar e interrogar esse processo de subjetivação e de controle da vida pela gestão da segurança e minimização do medo de envelhecer e de ficar refém da ausência de trabalho e relacionamentos amorosos, de amizade e de sociabilidade de lazer instrumental, passa a ser uma preocupação constante. Render e desempenhar performances de saúde e de máxima superação de si nos exercícios e na produtividade vai dando um tom de capitalização dos corpos e dos afetos cada vez maior.


Palavras-chave


Empresa; Saúde; Educação; Biopolítica; Desempenho.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/ayvu.v3i2.22222

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Por meio da publicação semestral de artigos inéditos, a AYVU: REVISTA DE PSICOLOGIA tem por objetivo favorecer a produção e a livre circulação de ideias que contribuam para a construção de uma Psicologia concernida com sua diversidade interna, suas múltiplas interfaces, o exame crítico de seu tempo e suas implicações teóricas e éticas.


Convidamos a todos a navegarem no site da revista para acessar as normas de submissão, diretrizes para autores, números publicados, etc.

Sejam bem-vindos!



Equipe editorial

Ana Cabral Rodrigues, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Augusto Cesar Freire Coelho, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Camilo Barbosa Venturi, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Gustavo Cruz Ferraz, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Thiago Constâncio Ribeiro Pereira, Universidade Federal Fluminense (UFF)