A beleza e o mercado de trabalho: uma perspectiva de gênero

Ruth Helena Dwek

Resumo


Pesquisas realizadas na América do Norte e no Brasil revelam o caráter discriminatório que o conceito de "Beleza" assumiu no mercado de trabalho, transformando-se em uma variável econômica importante, com forte impacto não apenas neste mercado como nos mercados de bens e serviços do segmento de higiene pessoal. Elas mostram, inclusive, o efeito da aparência física dos indivíduos em seus rendimentos, ao constatar empiricamente que as pessoas de aparência simples ganham muito menos que as pessoas com boa aparêcia. Provavelmente, este comportamento seja um dos fatores que explicam o crescimento e as trnasformações no segmento de estética e higiene pessoal ao longo dos últimos anos, no Brasil e no mundo. Este trabalho tem como objetivo analisar a evolução dos chamados serviços pessoais que fzem parte deste segmento, com ênfase em sua capacidade de gerar emprego, assim como uma avaliação do perfil desse emprego. Para este estudo, foram consideradas as seguintes ocupações:cabeleireiros, manicures, barbeiros, massagistas, esteticistas, técnicos de esporte das academias de ginástica e dança, que juntas representam mais de 90% do emprego nesse segmento. Os serviços realizados por estes profissionais são relativamente simples, não exigem um conhecimento especializado e muito menos tecnológico, muitos deles são personalizados, com grau de substituição relativamente baixo. O perfil desses trabalhadores foi traçado com base em variáveisrelativas à distribuição por sexo, faixa etária, nível de escolaridade, reda, e posição na ocupação, tanto em termos globais, quanto para cada um dos profissionais selecionados.

Palavras-cheve:beleza;mercado de trabalho; de bens e serviços pessoais.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/rg.v7i1.348

Apontamentos

  • Não há apontamentos.