GESTÃO RESILIENTE: FORMULAÇÃO DE MODELO E FATORES CRÍTICOS PARA IMPLANTAÇÃO

David Menezes Lobato

Resumo


A Gestão Estratégica de novos modelos, para ter sucesso, deve estar alinhada com a realidade e a cultura empresarial brasileira contemporânea. Este artigo pretende, fundamentalmente, separar o modelo resiliente gestão de qualquer conotação de idealismo ou de falta de operacionalidade e apontar os principais fatores críticos de sucesso para a implantação. Em relação às especifidades do mercado brasileiro, o modelo resiliente de gestão serviria muito bem à administração das empresas brasileiras. Num país como o Brasil, dono de um diversificado parque industrial e de serviços, com diferentes equacionamentos de gestão administrativa, pode-se analisar a viabilidade de novas culturas empresariais, incluindo o modelo resiliente, como alternativa de solução.
Palavras chave: Gestão Estratégica, Modelo Resiliente, Culturas Empresariais


Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Adriana. ROSSETTI, José Paschoal. Governança Corporativa. 2a ed. São Paulo: Atlas, 2006.

ANSOFF, H. Igor. A Nova Estratégia Empresarial. São Paulo: Atlas, 2001.

______.; MCDONNELL, E. J. Implantando a Administração Estratégica. São Paulo: Atlas, 2009.

BARÇANTE, Luiz Cesar. Qualidade Total: Uma Visão Brasileira. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

BERTERO, C. O. Rumos da estratégia empresarial. RAE Light, São Paulo: FGV, v. 2, n. 2, p. 20-25, mar.-abr. 1995.

BESSANT, John. Inovação. São Paulo: Publifolha, 2010.

BETHLEM, Agrícola de Souza.Estratégia Empresarial. São Paulo: Atlas, 2008.

CAVALCANTI, Vera Lucia et al.Liderança e Motivação. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

CERTO, Samuel C.; PETER, J. P.; MARCONDES, Reinaldo C. e CESAR, Ana Maria R. Administração Estratégica: Planejamento e implantação de estratégias. 3ª Edição. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2010.

COLLINS, J.;PORRAS, J. Feitas para Durar. Rio de Janeiro: Rocco, 2007.

CONNER, D. R. Gerenciando na velocidade da mudança: Como gerentes resilientes são bem sucedidos e prosperam onde outros fracassam. Rio de Janeiro: Infobook, 1995.

COVEY, Stephen R. 8o. Hábito: Da eficácia à grandeza.São Paulo: Campus, 2005.

CREMA,Roberto. Introdução à Visão Holística. São Paulo: Summus,1989.

DRUCKER, Peter. Inovação e espírito empreendedor: Prática e princípios. São Paulo: Pioneira Thompson, 2003.

______.Administração em Tempos Turbulentos. São Paulo: Pioneira, 1980.

______. Administrando para o Futuro. 6a ed. Rio de Janeiro: Pioneira, 1998.

FLACH, F. Resiliência: A arte de ser flexível. São Paulo: Saraiva, 1991.

FRANKL, Viktor E.Em busca de sentido: Um psicólogo no campo de concentração. Petrópolis: Ed. Vozes, 1991.

FUKUYAMA, F. O fim da História e o último homem. Rio de Janeiro: Rocco, 1992.

GHEMAWAT, Pankaj. A Estratégia e o Cenário de Negócios. Porto Alegre: Bookman, 2007.

GIL, AntonioCarlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1995.

GILBERT, Xavier; STREBEL, Paul. Strategies to outpace the competition. The Journal of Business Strategy, v. 8, p. 28-36, 1987.

GLUCK, F. N.; KAUFMANN, S. P.; WALLEC, S. Strategic Management for Competitive Advantage.Boston: Harvard Business School Press, Jul-Aug 1980.

HAMEL, G., PRAHALAD, C.K. Competindopelofuturo.Rio de Janeiro: Campus, 2005.

HAMMER, Michael; CHAMPY, James. Revolucionando a empresa. 20a ed. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

HART, Stuart L.Strategies for a sustainable world. Boston: Harvard Business Review, V75, N1, Jan-Feb 1997.

HITT, M. et al. Administração Estratégica. São Paulo: Pioneira, 2007.

KAPLAN, Robert S. et al. Measures for Manufacturing Excellence. Boston: Harvard Business School Press, 1990.

______.; ______. Putting the balanced scorecard to work. Boston: Harvard Business School Press, Boston, Sep-Oct 1993.

______.; ______. Using the balanced scorecard as strategic management system. Boston: Harvard Business School Press, Jan-Feb 1996.

______.; ______. A Estratégia em Ação: Balanced Scorecard. 4a ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

______.; ______.Organização orientada para a estratégia: Como as empresas que adotam o balancedscorecard prosperam no novo ambiente de negócios. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

KAY, J. Fundamentos do Sucesso Empresarial. Como as Estratégias de Negócios Agregam Valor. Rio de Janeiro: Ed. Campus, 1996.

KEPNER, C.H.; TREGOE, B.B. Manual de Aplicação do sistema APEX II. New Jersey: Princetown Research Press, 1978.

KIM, W. Chan; MAUBORGNE, Renée. A Estratégia do Oceano Azul: como criar novos mercados e tornar a concorrência irrelevante. 10a ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

KOTLER, Philip.Administração de Marketing: Análise, planejamento, administração e controle. 5a ed. São Paulo: Atlas, 2006.

LOBATO, David Menezes.Administração Estratégica – Uma Visão Orientada para a Busca de Vantagens Competitivas. Rio de Janeiro: P&C de Botafogo, 1997.

______. Administração Estratégica.Rio de Janeiro: Editoração, 2002.

MEIRELLES, A. M. O planejamento estratégico no Banco Central do Brasil e a viabilidade estratégica em uma unidade descentralizada da autarquia: Um estudo de caso. Dissertação (Mestrado em Administração). CEPEAD/FACE/UFMG, Belo Horizonte: UFMG, 1995. 229 p.

MERCER, David. Simple scenarios. Management Decisions, Bradford, England, v.33, n.4, p.32-40, Aug. 1995.

MINTZBERG, Henry.Strategy-Making in Three Modes.California Management Review, winter, p. 44-53, 1973.

MINTZBERG, Henry. The Strategy Concept 1: Five Ps for Strategy.California Management Review, June, p.11-24, 1987.

MINTZBERG, Henry. The rise and fall of strategic planning. New York: Free Press, 1994.

MINTZBERG, Henry, Bruce Ahlstrand e Joseph Lampel.Safári de Estratégia.2ª Ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

MINTZBERG, H.; QUINN, J. B.The Strategy Process: Concepts, Contexts and Cases.EnglewoodCliffs: Prentice-Hall International, Inc., 2002.

MOYSÉS FILHO, Jamil;SILVA, Renaud Barbosa da.A Dimensão Estratégica da Logística. O Estado de São Paulo. São Paulo, 11 jun. 2002.

NAISBITT, John; ABURDENE, Patrícia. Megatrends 2000: Dez Novas Tendências de Transformação da Sociedade nos Anos 90.São Paulo: Amana-Key, 1990.

NIVEN, P. R. Balanced scorecard step by step: Maximizing performance and maintaining results. New York: John Wiley& Sons, Inc., 2000.

OHMAE, Kenichi. O Estrategista em Ação - A Arte Japonesa de Negociar. 10a ed. São Paulo: Pioneira, 1994.

OLIVEIRA, Djalma de P. R. Planejamento Estratégico – Conceitos, Metodologia, Práticas. 29a ed. Atlas: São Paulo, 2011.

PEREIRA, A. M. S. Resiliência, personalidade, stress e estratégias de coping. In: TAVARES, J. (Org). São Paulo: Cortez, 2001.

PINTO, Luiz Fernando da Silva. Sagres –a revolução estratégica.12a ed. Rio de Janeiro: Fundação Getulio Vargas, 2011.

PORTER, Michel E. Estratégia Competitiva – Técnicas para análise de indústrias e da concorrência. Rio de Janeiro: Campus, 2005.

______. Vantagem Competitiva – Criando e sustentando um desempenho superior.Rio de Janeiro: Elsevier, 1989.

______. What Is Strategy?Boston: Harvard Business School Press, nov-dec 1996.

PORTER, M.E.; KRAMER, Mark.How to fix the Captalism. Harvard Business Review. Jan.2011.

MELO, Paulette AlbérisAlves de.O Capitalismo Consciente: A revolução espiritual nas organizações. Tese de Doutorado em Administração, Florida Christian University, USA, 2011.

MOELLER, J. E. A resiliência no perfil do empreendedor catarinense, a partir da aplicação das cinco características identificadas por Darly R. Conner. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

PROENÇA, Adriano Proença,Gerência de Produção e Competitividade: Premissas da abordagem por capacitações dinâmicas em Estratégias de Produção, Tese de Doutorado, Rio de Janeiro, UFRJ/COPPE, 1994.

RALHA-SIMÕES, H. Resiliência e desenvolvimento pessoal. In: TAVARES, J. (Org). São Paulo: Cortez, 2001.

REVISTA HSM MANAGEMENT. O capitalismo do valor compartilhado. Reportagem e entrevista com Michael Porter. São Paulo: Revista HSM Management, setembro/outubro, 2011, pag. 42-48.

SACHS, Ignacy.Estratégias de transição para o século XXI: Desenvolvimento e meio ambiente. São Paulo: Fundap, 1993.

SCHWARTZ, P. A arte da visão de longo prazo. Rio de Janeiro: Best Seller, 2000.

SENGE, Peter. A Quinta Disciplina, Arte, Teoria e Prática da Organização de Aprendizagem. 25a ed.São Paulo: Best Seller, 2009.

SERRA, F.; TORRES, M. C. S.; TORRES, A.P. Administração Estratégica. Rio de Janeiro: Reichmann& Affonso, 2004.

SIMON, H.A.AdministrativeBehavior. New York: Macmillan, 1997.

SLACK, Nigel. Administração da produção. 3a ed. São Paulo, ed: Atlas, 2009.

TAVARES, C. Mauro. Planejamento Estratégico. A opção entre o sucesso e o fracasso empresarial. São Paulo: Harbra, 1991.

TAVARES, J. A resiliência na sociedade emergente. In: TAVARES, J. (Org). São Paulo: Cortez, 2001.

THOMPSON, Arthur A.; STRICKLAND III, A. J. Planejamento Estratégico: Elaboração, implementação e execução. São Paulo: Pioneira, 2002.

TOFFLER, Alvin. A Terceira Onda, A Morte do Industrialismo e o Nascimento de uma nova Civilização. 29a ed. Rio de Janeiro: Record, 2007.

TORRES, Maria Candida S.O uso da simulação em uma das perspectivas do Balanced Scorecard. 1998. Dissertação (Mestrado) - Instituto Militar de Engenharia (IME), Rio de Janeiro, 1998.

TORRES, M. C. S.; LOBATO, D. M. Balanced Scorecard. FGV online, Rio de Janeiro, 2001.

TOURAINE, Alain. A Desforra do Mundo Político. Folha de São Paulo, p. 5-11, 16 jun. 1996.

TRACY, Diane. 10 passos para o empowerment.Rio de Janeiro: Campus, 1994.

TREGOE, B.B., and TOBIA P.M. An Action-Oriented Approach to Strategy. The Journal of Business Strategy, January-February, p. 16-21, 1990.

TREACY, M. & WIERSEMA, F. A Disciplina dos Líderes do Mercado; Editora Rocco, 3a. Edição, 1998.

VASCONCELOS, P.& PAGNONCELLI. D. Construindo Estratégias Para Vencer. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

VERGARA,Sylvia Constant.Gestão de Pessoas. 9aed. São Paulo: Atlas, 2010. VERTAMATTI, Roberto; RICCIARDI, Gianni.Trabalho Indicador Anefac dos países do G-20, edição 2011. WEIL, P. Organizações e Tecnologias para o Terceiro Milênio. A Nova Cultura Organizacional Holística.Rio de Janeiro: Rosas dos Tempos, 1997.

WERNERFELT, Birger. A Resource-based View of the Firm,Strategic Management Journal 5, no. 2, april–june, pp. 171–180, 1984.

WRIGHT,Peter;KROLL, MarkJ.; PARNELL, John.Administração Estratégica: Conceitos. 1ª Edição, 11ª Reimpressão. São Paulo: Atlas, 2010.

YIN, R. K. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. 2 aed Porto Alegre: Bookman. 2001.

YUNES, M. A. M. Psicologia positiva e resiliencia: Foco no indivíduo e na família.In: DELL’AGLIO, D. D.; KOLLER, S. H.; YUNES, M. A. M. (Org). São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006.

ZACCARELLI, S. B. Estratégia e sucesso nas empresas. São Paulo: Saraiva,2003


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Relatórios de Pesquisa em Engenharia de Produção