A POLÍTICA PÚBLICA DE COTAS EM UNIVERSIDADES, DESEMPENHO ACADÊMICO E INCLUSÃO SOCIAL

Teresa Olinda Caminha Bezerra

Resumo


O artigo analisa o sistema de cotas, bem como os efeitos dela decorrentes na Universidade do Estado doRio de Janeiro, olhando-o como política pública de ação afirmativa conducente à inclusão social. Oconceito de inclusão está baseado em dois aportes: o desempenho acadêmico (conceitos/notas/evasão),obtido, e a aceitação, entendida como o acolhimento que os colegas dispensam entre si. O trabalho foirealizado com estudantes cotistas e não-cotistas, nos cursos de Administração, Direito, EngenhariaQuímica, Medicina, Odontologia, Pedagogia (Rio) e Pedagogia (SG). Utilizou-se essencialmente derevisão da literatura sobre o assunto e pesquisa documental, nos arquivos da UERJ. No caso dainformação sobre o acolhimento, o recurso à sociometria de Moreno (1992) constituiu-se no principalinstrumento de coleta de dados. Com o modelo sociométrico, realizou-se a avaliação da atração-repulsãoentre alunos cotistas e não-cotistas. Os resultados indicam que o desempenho dos cotistas nos cursosestudados é semelhante ao dos alunos que entraram pelo sistema universal, nos exercícios de 2005 e2006. Além disto, outros mitos que questionam a política se revelaram não comprovados. Ainda assim,ficou evidente que se trata de uma política provisória e transitória, a que não se deve acomodar aeducação brasileira.Palavras-chave: Inclusão Social, Educação Superior, Política Pública, Cotas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/sbijounal2011.i09.a10187

Apontamentos

  • Não há apontamentos.