O PROCESSO DE CRIAÇÃO DO MONUMENTO NATURAL DO RIO SAMBURÁ (MG): DEFINIÇÃO DE ESTRATÉGIAS DE USO PÚBLICO OU RATIFICAÇÃO DE INTERESSES PRIVADOS?

Mikael Fonseca Lemos, Paula Fernandes da Silva

Resumo


Unidades de Conservação são áreas delimitadas que têm como objetivo, entre outros aspectos, a proteção da biodiversidade, dos recursos naturais ou de determinadas feições singulares, como é o caso da proposta de criação do Monumento Natural do Rio Samburá. Estudos recentes apontam que na bacia hidrográfica deste rio está contida a “nascente geográfica” do Rio São Francisco. A criação de unidades de conservação é fruto de esforços coletivos e discussões no interior da comunidade local, muita das vezes refletindo os interesses políticos de poder de determinada região, que influencia a expansão, redução ou até mesmo mudança na categoria de uma unidade de conservação, em questão. O presente artigo pretende discorrer sobre aspectos da história ambiental do Parque Nacional Serra da Canastra e os interesses que cercam a criação do Monumento Natural para a recém-descoberta nascente do Rio São Francisco. Entre eles, os possíveis motivos para a escolha deste tipo de unidade de conservação ao invés da expansão do Parque já existente, além de discutir estratégias de uso público da unidade de conservação.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Plano de Manejo: Parque Nacional da Serra da Canastra. Brasília: MMA/IBAMA, 2005.

BRASIL. Sistema Nacional de Unidades de Conservação – SNUC. Lei n° 9985 de 18 de julho de 2000. < disponível em: http://www.icmbio.gov.br/sisbio/images/stories/instrucoes_normativas/SNUC.pdf>

CMADS. Projeto de Lei n° 6905/10. 2010.

FABRINI, F. Deputado Carlos Melles, autor de projetos que reduzem Parque Nacional da Serra da Canastra (...). Jornal O Globo online. Reportagem de 04/08/2010.

FANZERES, A. Canastra a um passo do recorte. Reportagem da Revista Meio Ambiente de 06 /11/2008.

FERREIRA, G. H. C. A regularização fundiária no Parque Nacional da Serra da Canastra e a expropriação camponesa: da baioneta à ponta da caneta - São Paulo, 2013.

GORGULHO, S. A Nova Nascente do Rio São Francisco. Reportagem do site de Silvestre Gorgulho. 201-.

LEUZINGER, M. D. Uso Público em Unidades de Conservação. 2006.

SILVA, P. A.; VIEIRA, G. G.; FARINASSO,M.; CARLOS, R. J. Determinação da Extensão do Rio São Francisco - Anais XI SBSR, 2003 < disponível em: http://www.sfrancisco.bio.br/arquivos/SilvaP001.pdf>

Sites consultados:

Site da Câmara dos Deputados

Site do Instituto Socioambiental (ISA)

Reportagem do Jornal O Globo de 4 de agosto de 2010

Reportagem da Revista Meio Ambiente de 6 de novembro de 2011


Apontamentos

  • Não há apontamentos.