Oficinas terapêuticas: possibilidades de subjetivação da pessoa psicótica institucionalizada

Amanda Santos de Souza, Rui Maia Diamantino

Resumo


A arte está entre as diversas modalidades de assistência resolutiva ao sofrimento psíquico e à desconstrução de estigmas sociais em torno da psicose por meio da Reforma Psiquiátrica. Este estudo teve por objetivo analisar a contribuição da arte como instrumento de expressão do inconsciente em sujeitos psicóticos e como caminho para a formação do vínculo terapêutico, a partir da experiência de oficinas realizadas na internação de um hospital psiquiátrico na cidade de Salvador, Bahia. A função da criação artística foi abordada como ferramenta de trabalho no manejo da psicose a partir do vínculo terapêutico. Como resultado, considerou-se que a arte pode ser uma ferramenta facilitadora da expressão subjetiva para as pessoas que vivem a experiência da psicose, tornando-lhes possível o alcance de novos lugares na relação com a sociedade e atenuando o sofrimento psíquico da experiência, por meio do vínculo com os profissionais que atuam na unidade de saúde.


Palavras-chave


Psicose; saúde mental; arte

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/ayvu.v4i2.22242

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

A Ayvu: Revista de Psicologia tem por objetivo favorecer a produção e a livre circulação de ideias que contribuam para a construção de uma Psicologia concernida com sua diversidade interna, suas múltiplas interfaces, o exame crítico de si e de seu tempo, assim como suas implicações teóricas e éticas. Para tanto, opera em regime de fluxo contínuo, publicando artigos originais e inéditos, traduções, entrevistas e resenhas.

Convidamos todas e todos que compartilham dos nossos objetivos a conhecer nossas publicações, e a contribuir com a produção de novos materiais.

Boas leituras!


Equipe editorial

Ana Cabral Rodrigues, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Augusto Cesar Freire Coelho, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Camilo Barbosa Venturi, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Gustavo Cruz Ferraz, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Thiago Constâncio Ribeiro Pereira, Universidade Federal Fluminense (UFF)