Sobre o caráter inferencial da percepção

Filipe Herkenhoff Carijó

Resumo


Uma controvérsia central em psicologia da percepção diz respeito ao seu caráter inferencial. O debate opõe cognitivistas como Gregory, Fodor e Pylyshyn, que defendem a tese de que a percepção realiza inferências, a Gibson, fundador da abordagem ecológica, que a recusa. Eu identifico um problema comum aos argumentos tradicionais propostos por ambos os lados (respectivamente, o argumento da pobreza do estímulo e o da riqueza): eles são pertinentes à epistemologia, perdendo sua força quando importados para a psicologia. Proponho que deixemos para trás considerações concernentes à pobreza e à riqueza do estímulo e que dissociemos o debate sobre a percepção da discussão epistemológica apontada. Uma versão mínima da tese inferencial – que não depende de considerações sobre pobreza do estímulo, não está associada a uma epistemologia controversa e que respeita diferenças entre a percepção e inferências paradigmáticas que Gibson quereria enfatizar – é proposta ao final como via possível para a convergência.

Palavras-chave


percepção; inferências inconscientes; pobreza do estímulo; abordagem ecológica.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/ayvu.v6i0.38406

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

A Ayvu: Revista de Psicologia tem por objetivo favorecer a produção e a livre circulação de ideias que contribuam para a construção de uma Psicologia concernida com sua diversidade interna, suas múltiplas interfaces, o exame crítico de si e de seu tempo, assim como suas implicações teóricas e éticas. Para tanto, opera em regime de fluxo contínuo, publicando artigos originais e inéditos, traduções, entrevistas e resenhas.

Convidamos todas e todos que compartilham dos nossos objetivos a conhecer nossas publicações, e a contribuir com a produção de novos materiais.

Boas leituras!


Equipe editorial

Ana Cabral Rodrigues, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Augusto Cesar Freire Coelho, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Camilo Barbosa Venturi, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Gustavo Cruz Ferraz, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Thiago Constâncio Ribeiro Pereira, Universidade Federal Fluminense (UFF)