Educação empreendedora: um estudo de caso no nordeste do Brasil

Amanda Marilyne Figueiredo dos Santos, Brenda Maria Lima da Silva, Alba de Oliveira Barbosa Lopes

Resumo


A Lei no. 11.892, de 29.12.2008, de criação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia reconhece a importância da educação do empreendedorismo no ensino profissional. Este artigo teve como objetivo verificar de que forma um campus de um Instituto Federal no Nordeste contribui para o estímulo ao empreendedorismo, em atendimento à legislação. Para tanto, foi utilizada como marco teórico a educação empreendedora, focando na conceituação, importância, ações previstas e limitações. Esta pesquisa segue orientações internacionais que destacam ações empreendedoras como forma de desenvolvimento de regiões e ressalta o papel das instituições de ensino na geração de uma cultura de empreendedorismo dentro da sociedade. O procedimento metodológico está fundamentado numa abordagem qualitativa dos dados primários coletados através de formulários com os alunos matriculados na disciplina empreendedorismo, nos curso técnicos, e de entrevistas com os docentes da área de administração. Foram utilizadas a estatística descritiva e a análise de conteúdo. Verificou-se que existe uma oportunidade latente de melhoria do estímulo ao empreendedorismo. Existem ações desconexas e focadas na transmissão de conteúdos voltados à área em disciplinas específicas. A interdisciplinaridade não é traduzida em práticas conjuntas de inovação e autonomia. Reforça-se a necessidade de intensificar as ações, conjuntas, de estímulo ao empreendedorismo e de repensar o papel do professor voltado ao desenvolvimento da capacidade de autoaprendizagem dos alunos.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.32888/cge.v5i2.12713

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores

sumarios_1_696            


ISSN 2318-9231