A Guerra Suja e Social: Estado de exceção e militarização no México.

André Andrade

Resumo


Resumo: O tema do trabalho busca demonstrar a partir do caso mexicano como o México ser tornou-se um estado de exceção através da militarização de combate ao crime organizado. Após a crise do capitalismo na década de 1980,o governo do presidente de Miguel de La Madrid começa-se adotar as medidas neoliberais no país. As condições de vida deterioram-se num curto espaço de tempo nas principais cidades mexicanas. Em suma disso os cartéis ampliam seu poder e hegemonia e se estabelece uma relação entre o Estado-Nação e o crime organizado. A questão problema A questão essencial a ser respondida durante a pesquisa é como após o longo período de miitarização e combate ao crime, o país adquiriu características de um “Estado de Exceção”. O objetivo da pesquisa é apresentar como o México se tornou-se um “Estado de exceção”. O trabalho

buscou a entender como a militarização de combate ao narcotráfico fortaleceu os cartéis e como a guerra às drogas funciona como “política de estado” para controle movimentos de grupos sociais. A metodologia do trabalho consistem em uma análise bibliográfica. Desta forma, durante a guerra fria diversas operações de enfrentamento ao crime organizado sempre foram estendidas contra grupos sociais. O autor Agamben, traz uma discussão sobre estado de exceção mesmo em repúblicas democráticas e após a constante militarização no caso mexicano se encaixa neste perfil. Os resultados da pesquisa conseguiu identificar que o estado mexicano desde a década de 1930 vem perseguindo opositores políticos. Durante a Guerra Fria, isso só aumentou a perseguição.. A aliança entre grupos criminosos e autoridades estabeleceu uma relação simbiótica. Após o aumento da militarização e a polìtica de cortes de gastos imposta pelo FMI, adotadas pelo o governo de Miguel de La Madrid (1976-1982), a criminalidade só aumentou no país e até que o Estado-Nação da mesma maneira que  vive nos dias atuais em uma guerra sangrenta, em seguida a militarização  de combate ao narcotráfico, o país  ser torna-se um estado de exceção.

 

 

 

 


Palavras-chave


Estado de Exceção, narcotráfico e México.

Texto completo:

PDF

Referências


Referências Bibliográficas.

AGAMBEN, Giorgio. Estado de Exceção. ed. Boitempo. Coleção Estado de Sítio.2016.

BRAGANÇA, Danilo Avellar. Narcotráfico, Soberania e Relações Internacionais no México. Rio de Janeiro. Gramma, 2017.v.1.156p.

GRAHAM, Stephen. Cidades Sitiadas: O novo urbanismo militar. edição 2016. editora: Boitempo.

GOMES, De Leon Petta. Cooperação entre Estado-Nação e Crime Organizado: uma geopolítica escura. Tese de Doutorado. USP. 2017.

ATÁSSIO, Aline Prado; MANCUSO; Amanda Pinheiro. Reflexões sobre a Exceção: Implicações do emprego do exército como força policial no Brasil. Revista Videre, Dourados, MS, ano 2, n.4, p.93-111, jul./dez.2010.

BRAGANÇA, Danilo Avellar. As Três Guerras. O esforço pela paz e a Guerra às drogas noMéxico contemporâneo. Cadernos de Estudos Sociais e Políticos, v. 5, p.121-149, 2016.

SERRANO, Mônica. México: narcotráfico y gobernabilidad. Pensamiento Ibero-Americano,n.1, Madrid, AECID, 2007, Pp-251-278.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 André Andrade