Desempenho e resposta imune de frangos de corte alimentados com dietas suplementadas com cromo na forma orgânica

Sandra Regina Gomes da Silva, Márvio Lobão Teixeira de Abreu, João Batista Lopes, Daniel Irineu Brandão Leal, Snaylla Natyelle de Oliveira Almendra, Silvana Maria Medeiros de Sousa Silva, Elvania Maria da Silva Costa

Resumo


O experimento foi conduzido com o objetivo de avaliar o efeito da suplementação de cromo-orgânico, sobre o desempenho, biometria dos órgãos digestivos e linfoides, histomoformetria da bolsa cloacal e rendimento de carcaça e cortes nobres de frangos de corte de 1 a 41 dias de idade, naturalmente submetidos a estresse por calor cíclico. Foram utilizados 400 pintos de corte da linhagem Cobb, em um delineamento experimental inteiramente casualizado, com cinco tratamentos: 0; 350; 700; 1050 e 1400 ppb de cromo na ração. Os valores do índice de temperatura de globo e umidade foram respectivamente, 83,39 e 80, para fase de crescimento e terminação. A suplementação do cromo orgânico influenciou (P<0,01) de forma quadrática a conversão alimentar dos animais segundo a equação Y=1,67-0,00016x+0,00000012x² (r² 0,976), na fase de 1 a 21 dias de idade. Os níveis de suplementação do cromo orgânico proporcionaram melhor índice de eficiência produtiva e maior percentual de parênquima cortical nas aves aos 21 dias. Na fase de 1 a 41 dias de idade, verificou-se que o peso de penas foi influenciado positivamente com os níveis de cromo orgânico e que não houve efeito para o desempenho dos frangos. Conclui-se que a suplementação da ração com cromo orgânico melhora desempenho e a resposta imune de frangos de corte frente a condições de estresse por calor.

Palavras-chave


, bolsa cloacal, estresse térmico, órgãos linfoides

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV