Camões e Baco: a exclusão e disidência como agentes genético-semânticos n'Os Lusíadas

Luiza Nóbrega

Resumo


Entre as funções múltiplas que a figura de Baco desempenha, n’Os Lusía­das, destaca-se a de porta-voz de uma dupla dissonância: a ira camoniana contra sua própria exclusão; e a dissidência que o poeta partilhou com al­guns contemporâneos. Este conteúdo, de tom e teor trágico-líricos, incidiu sobre o discurso épico, alterando-o. 

Palavras-chave


Os Lusíadas; mito de Baco; dissonância discursiva; dissidência ideológica.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/abriluff.v4i8.29721

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 1984-2090 (online)


Indexado em:

Periódicos UFF

Latindex Periódicos CapesDiadorimSumarios.org EZBABECLivreSHERPA-RoMEO MLADialnet


Licença Creative Commons
A Revista Abril utiliza uma licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0).