A face crítica do poeta em ‘Indulgência plenária’, de Alberto Pimenta

Ana Cristina Joaquim

Resumo


Trata-se de um ensaio, cujo mote incide sobre a maneira de junção entre crítica e poesia, entre ética e estética, no longo poema Indulgência Plenária de Alberto Pimenta. Para o presente propósito, importa considerar a crítica numa dupla acepção: numa das abordagens possíveis, como um viés de lei­tura que explicita alguns dos procedimentos de linguagem, de modo que a escrita poética é apresentada como procedimento que se dobra sobre o seu próprio meio de efetuação, permitindo que a reflexão e a valorização da es­crita seja evidenciada; e, numa outra possibilidade de abordagem, a crítica no sentido mesmo de um exame detalhado seguido de avaliação acerca do fato motivador da elaboração deste longo poema (a saber, a violência – se­guida de morte – sofrida pela transexual Gisberta Salce na cidade do Por­to), momento em que a conjunção entre ética e estética se fará pertinente. Tendo em vista o fato de que Alberto Pimenta também escreveu ensaios críticos, importa, por fim, considerar esta terceira acepção da crítica: gêne­ro literário característico que servirá como base de algumas das reflexões suscitadas pelo poema. Desse modo, pretendemos pensar crítica e poesia como realizações confluentes na atividade de Alberto Pimenta.


Palavras-chave


Poesia; Crítica; Alberto Pimenta.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/abriluff.v7i15.29873

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 1984-2090 (online)


Indexado em:

Periódicos UFF

Latindex Periódicos CapesDiadorimSumarios.org EZBABECLivreSHERPA-RoMEO MLADialnet


Licença Creative Commons
A Revista Abril utiliza uma licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0).