A encenação da etnografia em ‘Os papéis do inglês’ e ‘Nove noites’: entre a negação e o boicote

Juliana Campos Alvernaz, Anita Martins Rodrigues de Moraes

Resumo


Pretende-se, no presente artigo, o estudo de traços do discurso etnográfico nas obras Os papéis do inglês, do escritor angolano Ruy Duarte de Carvalho, e Nove noites, do brasileiro Bernardo Carvalho. Tendo em conta as interferências e contiguidades entre literatura e antropologia, investigamos a configuração da escrita etnográfica no campo literário notando que, ao mesmo tempo que a etnografia surge nas obras de Bernardo Carvalho e Ruy Duarte de Carvalho, é, paradoxalmente, negada ou boicotada. A partir disso, pensaremos na representação do “outro” – considerado o não ocidental, no caso de Os papéis do inglês, os pastores Kuvale, e, no caso de Nove noites, os índios Krahô – nas narrativas. Dessa forma, analisaremos de que modo se dá e qual é o efeito do olhar etnográfico na construção dos romances escolhidos, bem como as tensões entre o sujeito narrador e o “Outro”.

 

---

DOI: http://dx.doi.org/10.22409/abriluff2018n21a520.


Palavras-chave


Etnografia, literatura, Ruy Duarte de Carvalho, Bernardo Carvalho.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/abriluff.v10i21.29968

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 1984-2090 (online)


Indexado em:

Periódicos UFF

Latindex Periódicos CapesDiadorimSumarios.org EZBABECLivreSHERPA-RoMEO MLADialnet


Licença Creative Commons
A Revista Abril utiliza uma licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0).