A dupla face do Amor em Camões

Raul de Carvalho Rocha

Resumo


O presente trabalho propõe-se a analisar a dupla face do Amor em dois sonetos de Camões, a partir de uma retomada do período histórico do autor. Pretende-se discutir os modos e o porquê de, diante do conturbado início da Era Moderna, Camões denunciar, com o seu lirismo amoroso, o caos e o desconcerto modernos e um anseio por ordem e por fuga, marcas do Maneirismo, e utilizar-se, para isto, dos meios expressivos característicos das cantigas de amor trovadorescas. Trata-se de uma pesquisa de natureza bibliográfica, teoricamente fundamentada em Hauser (1972; 1973; 1993), Rougemont (1988), Spina (1991), Paz (1994) e Saraiva e Lopes (2010).


Palavras-chave


Camões; Maneirismo; Trovadorismo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/abriluff.v11i23.30279

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 1984-2090 (online)


Indexado em:

Periódicos UFF

Latindex Periódicos CapesDiadorimSumarios.org EZBABECLivreSHERPA-RoMEO MLADialnet


Licença Creative Commons
A Revista Abril utiliza uma licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0).