Percepções e usos dos espaços de Shopping Centers: um estudo na cidade de Maringá

Lisiane Mattielo Bevilacqua, Maiara Moura da Silva, Josiane Silva de Oliveira, Tales Tadaki Nakata

Resumo


O objetivo desta pesquisa foi compreender as percepções de usuários e trabalhadores sobre o espaço dos shoppings centers. Consideramos que os shoppings centers são espaços híbridos por conjugarem a comercialização de diferentes produtos e serviços produzindo diferentes experiências para quem consume nestes espaços e para quem trabalha nos mesmos. O conceito de percepção é apresentado a partir do entendimento que este ocorre a partir de diferentes estímulos dos sentidos que são compreendidos e interpretados pelas pessoas. A pesquisa de campo foi realizada em um shopping center localizado na cidade de Maringá, Paraná. Foram entrevistadas dez pessoas, sendo cinco consumidores e cinco trabalhadores destes shoppings por meio de um roteiro estruturado de perguntas sobre o uso dos espaços da organização pesquisada. Os dados coletados foram analisados por meio da técnica de análise de conteúdo a partir de três categorias, sendo estas: ocupação do espaço, localização e conforto. Os resultados da pesquisa indicam que os shoppings centers são espaços de lazer, mais do que de consumo de produtos, porém quanto maior a percepção de regulação do tempo nesse espaço, menor é essa percepção de lazer sobre o shopping center e as percepções do ambiente interno do shopping tem relação direta com o tipo de grupo social que faz uso desse espaço.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.32888/cge.v6i3.27455

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores

sumarios_1_696            


ISSN 2318-9231