Wabi-Sabi, a arte da imperfeição: estética japonesa e alteridade cultural

Ericson Saint Clair, João Vitor Viana Ribeiro

Resumo


Investiga-se o ideal estético japonês wabi-sabi, aqui entendido como potente contraponto crítico à cultura de aceleração das sociedades capitalistas contemporâneas. No século XV, o wabi-sabi introduziu nas artes japonesas os sentidos de imperfeição, impermanência, incompletude e simplicidade derivados do zen budismo. Diante das constantes demandas de perfeição, produtividade e aceleração da atualidade, defendemos uma aproximação cuidadosa de alteridades culturais que nos pode ser especialmente reveladoras. Propomo-nos a cartografar aspectos do wabi-sabi de modo a contribuir para o fornecimento de ferramentas teórico-conceituais profícuas para as pesquisas e práticas artísticas que pretendam explorar o trânsito cultural oriente-ocidente. Assim, aproximamos estética, singula­ridades culturais e ética em um estudo introdutório que visa oxigenar e enriquecer a atividade de pesquisa no campo das artes.

Palavras-chave


estética; alteridade cultural; cultura japonesa

Texto completo:

PDF

Referências


BARTHES, R. Império dos Signos. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 2007.

FERRAZ, Maria Cristina Franco. Ruminações: cultura letrada e dispersão hiperconectada. Rio de Janeiro: Garamond, 2015.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo: Loyola, 1999.

______. História da Sexualidade – A vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 2006.

______. L’usage des plaisirs. Paris: Gallimard, 1984.

GREINER, C. . “Orientalismos, japonismos, pós-colonialismos - o papel do corpo na arte de viver junto. In: Christine Greiner e Marco

Souza. (Org.). Imagens do Japão, pesquisas, intervenções poéticas, provocações. São Paulo: Annablume, 2011, v. 01, p. 99-110.

HALL, Stuart. “A questão multicultural”. In: Da diáspora. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

JULLIEN, F. Tratado da eficácia. São Paulo: Ed. 34, 1998.

JUNIPER, Andrew. Wabi sabi: the japanese art of impermanence. Boston: Tuttle Publishing, 2003.

KOREN, Leonard. Wabi-sabi for artists, designers, poets and philosophers. Berkeley: Stone Bridge Press, 1994.

ORTEGA, F. O corpo incerto: corporeidade, tecnologias médicas e cultura contemporânea. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

SAID, Edward. Orientalismo: o oriente como invenção do ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

SANTOS, Boaventura de Souza e Maria Paula (orgs.). Epistemologias do Sul. Coimbra: Almedina, 2010.

VIVEIROS DE CASTRO, E. O nativo relativo. Mana: Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, 2002.

WATSUJI, Tetsuro. Climate and culture: a philosophical study. Tóquio: Japanese National Commission for Unesco, 1961.

YUASA, Yasuo. The body: toward an Eastern Mind-Body Theory. New York: SUNY Press, 1987.

______. The body: self-cultivation and ki-energy. New York: SUNY Press, 1993.

ZIZEK, Slavoj: “Multiculturalismo, o la lógica cultural del capitalismo multinacional”. In: GRÜNER, Eduardo. Estudios culturales.

Reflexiones sobre el multiculturalismo. Buenos Aires: Paidós, 2003.




DOI: https://doi.org/10.22409/poiesis.1728.205-218

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Ericson Saint Clair, João Vitor Viana Ribeiro