Classes Sociais nos Estudos de Recepção: notas sobre teses e dissertações defendidas entre 2010 e 2014

Autores

  • Rafael Grohmann FIAM-FAAM - Centro Universitário / Faculdade Cásper Líbero

DOI:

https://doi.org/10.22409/contracampo.v36i1.970

Palavras-chave:

Recepção, Classe Social, Epistemologia, Comunicação.

Resumo

O artigo traz uma análise de 16 teses e dissertações defendidas em programas de pós-graduação em comunicação no Brasil que utilizaram a categoria de classe social em um estudo de recepção entre os anos de 2010 e 2014. A partir dessa seleção, foi realizada uma bibliometria dos trabalhos e uma análise de cunho qualitativo, de forma a compreender como os conceitos de “recepção” e “classe” apareceram nos trabalhos, procurando refletir questões de ordem teórica e metodológica que impactam os estudos de recepção e, de maneira geral, o próprio campo da comunicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Grohmann, FIAM-FAAM - Centro Universitário / Faculdade Cásper Líbero

Doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP). Coordenador Adjunto e Professor do Mestrado Profissional em Jornalismo do FIAM-FAAM - Centro Universitário e do Curso de Jornalismo da Faculdade Cásper Líbero.

Referências

a) Corpus da pesquisa

BERNARDES, Márcia. Jovens e Internet: usos sociais e sociabilidades juvenis femininas em uma instituição de acolhimento. Dissertação (Mestrado – Comunicação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), São Leopoldo/RS, 2012. Orientadora: Denise Cogo.

DRUMOND, Rafael. Entre espaços, uma novela: teletopias de uma #avenida em trânsito. Dissertação (Mestrado – Comunicação Social) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), Belo Horizonte, 2014. Orientadores: Maria Ângela Mattos e Eduardo Antônio de Jesus.

DUTRA, Flora Ardenghi. Usos e apropriações do celular por jovens de classe popular. Dissertação (Mestrado – Comunicação) – Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria/RS, 2014. Orientadora: Veneza Ronsini.

GRIJÓ, Wesley Pereira. Mediações Quilombolas: apropriações étnicas na recepção de telenovelas. Tese (Doutorado – Comunicação e Informação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2014. Orientadora: Karla Müller.

PAULA, Fernanda Cintra de. Muito antes da marca: relações entre a recepção de publicidade e o consumo de alimentos por crianças de classes populares. Dissertação (Mestrado – Comunicação e Práticas do Consumo) – Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), São Paulo, 2013. Orientadora: Isabel Orofino.

PREDIGER, Solange. Mídia e representação social juvenil: recepção do programa Malhação. Dissertação (Mestrado – Comunicação) – Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria/RS, 2011. Orientadora: Veneza Ronsini.

ROSA, Guilherme Carvalho da. Televisão e Sociabilidade: os pequenos estabelecimentos comerciais de Pelotas/RS. Tese (Doutorado – Comunicação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), Porto Alegre, 2014. Orientadora: Doris Fagundes Haussen.

SCHNORR, Júlia Mello. Jovens rurais, corações urbanos: Jornal Nacional e as desigualdades sociais do campo. Dissertação (Mestrado – Comunicação) – Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria/RS, 2013. Orientadora: Veneza Ronsini.

SENNA, Carlos Henrique Corrêa. Midiatização do Campo Religioso: a recepção da celebridade Padre Fábio de Melo por seus fãs/devotos. Dissertação (Mestrado – Comunicação Social) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), Belo Horizonte, 2011. Orientadora: Teresinha Maria de Carvalho Cruz Pires.

SIFUENTES, Lirian. Telenovela e identidade feminina de jovens de classe popular. Dissertação (Mestrado – Comunicação) – Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria/RS, 2010. Orientadora: Veneza Ronsini.

SIFUENTES, Lirian. “Todo mundo fala mal, mas todo mundo vê”: estudo comparativo do consumo de telenovela por mulheres de diferentes classes. Tese (Doutorado – Comunicação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), Porto Alegre, 2013. Orientadora: Ana Carolina Escosteguy, 2014.

SILVA, Anderson Luís de Vargas. Afinal, o que a classe média quer ver no Jornal do Almoço? Um estudo de recepção junto a telespectadores gaúchos. Dissertação (Mestrado – Comunicação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), Porto Alegre, 2013. Orientadora: Ana Carolina Escosteguy.

SILVA, Lourdes Ana Pereira Silva. Melodrama como matriz cultural no processo de constituição de identidades familiares: um estudo de (tele)novela e bumba-meu-boi – usos, consumo, e recepção. Tese (Doutorado – Comunicação e Informação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2012. Orientadora: Nilda Jacks.

SILVA, Renata Córdova da. Feminino velado: a recepção da telenovela por mães e filhas das classes populares. Dissertação (Mestrado – Comunicação) – Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria/RS, 2011. Orientadora: Veneza Ronsini.

SOBRAL, Jacqueline. Você gosta de alguém? Representações de amor, erotismo e sexo construídas por crianças em contextos populares a partir da cultura midiática. Dissertação (Mestrado – Comunicação e Práticas do Consumo) – Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), São Paulo, 2014. Orientadora: Isabel Orofino.

WOTTRICH, Laura. Envelhecer com Passione: a telenovela na vida de idosas das classes populares. Dissertação (Mestrado – Comunicação) – Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria/RS, 2011. Orientadora: Veneza Ronsini.

b) Referências gerais

AMPUJA, Marko. A Sociedade em Rede, o Cosmopolitismo e o “Sublime Digital”: reflexões sobre como a História tem sido esquecida na teoria social contemporânea. Revista Parágrafo. V. 1, N. 3, 2015.

ANDRADE, Roberta Manuela Barros de. O Fascínio de Sherazade: os usos sociais da telenovela. São Paulo: Annablume, 2003.

ANDRADE, Roberta Manuela Barros de. Gênero, classe e geração na televisão brasileira. In: Encontro Anual da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação – Compós, 2004, São Bernardo do Campo. Anais da Compós 2004. São Bernardo do Campo/SP : Compós, 2004.

ANTUNES, Ricardo. Os Sentidos do Trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2001.

ARAÚJO, Carlos Alberto. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão. Porto Alegre, v. 12, n. 1, jan./jun. 2006, p. 11-32.

BONIN, Jiani. Explorações sobre práticas metodológicas na pesquisa em comunicação. Famecos, n 37. Porto Alegre, dez/2008.

BRAGA, José Luiz. A Sociedade Enfrenta sua Mídia: dispositivos sociais de crítica midiática. São Paulo: Paulus, 2006.

BOURDIEU, Pierre. O Campo Científico. In: Pierre Bourdieu. São Paulo: Ática, 1983.

BOURDIEU, Pierre. A Distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp, 2007.

CERTEAU, Michel de. A Invenção do Cotidiano: 1. Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

CROMPTON, Rosemary. Class and Stratification. Cambridge: Polity, 2008.

DOUGLAS, Mary; ISHERWOOD, Baron. O Mundo dos Bens: para uma antropologia do consumo. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2009.

DYER-WITHEFORD, Nick. Cyber-Proletariat: global labour in the digital vortex. Toronto: Between the lines, 2015.

FÍGARO, Roseli. Comunicação e Trabalho: estudo de recepção – o mundo do trabalho como mediação da comunicação. São Paulo: Anita/Fapesp, 2001.

FÍGARO, Roseli; GROHMANN, Rafael. O conceito de classe social nos estudos de recepção brasileiros. In: Encontro Anual da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação – Compós, 2013, Salvador-BA. Anais da Compós 2013. Salvador, BA: Compós, 2013.

FÍGARO, Roseli; GROHMANN, Rafael. Lutas de Classes e os ‘Rolezinhos’: uma abordagem na perspectiva dos Estudos de Recepção. In: Encontro Anual da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação – Compós, 2014, Belem-PA. Anais da Compós 2014. Belém, PA: Compós, 2014a.

FÍGARO, Roseli; GROHMANN, Rafael. A recepção serve para pensar: é um ‘lugar’ de embates. In: Encontro Anual da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação – Compós, 2015, Brasília/DF. Anais da Compós 2015. Brasília: Compós, 2015

GARCÍA CANCLINI, Néstor. Diferentes, Desiguais e Desconectados. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2005.

GASTALDO, Édison. Futebol e sociabilidade: apontamentos sobre as relações jocosas futebolísticas. Revista Esporte e Sociedade. N. 3, jul-out, 2006.

GIDDENS, Anthony. A Estrutura de Classes das Sociedades Avançadas. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

GROHMANN, Rafael; FÍGARO, Roseli. O conceito de classe social em estudos de recepção brasileiros. Animus. V. 13, n. 25, 2014, p. 57-70.

HALL, Stuart. Codificação/ Decodificação. In: Da Diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2003, p. 365-384

JACKS, Nilda (org.). Meios e Audiências II: a consolidação dos estudos de recepção no Brasil. Porto Alegre: Sulina, 2014.

JACKS, Nilda; ESCOSTEGUY, Ana Carolina. Comunicação e Recepção. São Paulo: Hackers Editora, 2006.

JACKS, Nilda; MENEZES, Daiane; PIEDRAS, Elisa. Meios e Audiências: a emergência dos estudos de recepção no Brasil. Porto Alegre: Sulina, 2008.

JUNQUEIRA, Lília. Desigualdades Sociais e Telenovelas: relações ocultas entre ficção e reconhecimento. São Paulo: Annablumme, 2010.

LOPES, Maria Immacolata Vassallo de. Pesquisa em Comunicação. São Paulo: Edições Loyola, 2005.

LOPES, Maria Immacolata Vassallo de. Mediação e Recepção: algumas conexões teóricas e metodológicas nos estudos latino-americanos de comunicação. Revista MATRIZes, São Paulo, v. 8, n.1, p. 21-44, jan/jun. 2014.

LOPES, Maria Immacolata Vassallo de (org.). Por uma teoria de fãs da ficção televisiva brasileira. Porto Alegre: Sulina, 2015.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos Meios às Mediações: comunicação, cultura e hegemonia. 5ª edição. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2009.

MURDOCK, Graham. Comunicação contemporânea e questões de classe. Revista MATRIZes, São Paulo, v. 2 n. 2, p.31-56, 2009.

NERI, Marcelo. A Nova Classe Média: o lado brilhante dos pobres. Relatório de Pesquisa. Rio de Janeiro: CPS/FGV, 2010. Disponível em: <http://www.cps.fgv.br/ibrecps/ncm2010/NCM_Pesquisa_FORMATADA.pdf> Acesso em 25 jul. 2013.

PINTO, Álvaro Vieira. O Conceito de Tecnologia – Volume I. Rio de Janeiro: Contraponto, 2005a.

QUADROS, Waldir; ANTUNES, Davi. Classes sociais e distribuição de renda no Brasil dos anos noventa. Cadernos do CESIT. Campinas, n. 20, out. 2001.

ROMANCINI, Richard. O Campo Científico da Comunicação no Brasil: institucionalização e capital científico. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006. Orientadora: Maria Immacolata Vassallo de Lopes.

RONSINI, Veneza. A etnografia crítica da recepção. Comunicação & Sociedade. São Bernardo do Campo. V. 24, n. 39, p. 33-50, 2003.

RONSINI, Veneza. Mídia, cultura e classe: a ordem da diferença. In: Encontro Anual da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação – Compós, 2007, Curitiba-PR. Anais da Compós 2007. Curitiba/PR: Compós, 2007.

RONSINI, Veneza. A Crença no Mérito e a Desigualdade: a recepção da telenovela do horário nobre. Porto Alegre: Sulina, 2012.

SCHMITZ, Daniela Maria. Será que o jovem só vê TV? A juventude nas pesquisas de recepção. In: JACKS, Nilda. Meios e Audiências II: a consolidação dos estudos de recepção no Brasil. Porto Alegre: Sulina, 2014, p. 187-216.

SIFUENTES, Lirian. Classe social e o consumo de telenovela por mulheres: um estudo comparativo. In: Encontro Anual da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação – Compós, 2015, Brasília/DF. Anais da Compós 2015. Brasília, DF: Compós, 2015.

SINGER, André. Os Sentidos do Lulismo: reforma gradual e pacto conservador. São Paulo: Companhia das Letras, 2012

SODRÉ, Muniz. Comunicação: um campo em apuros teóricos. Revista MATRIZes. V. 5, n. 2, jan/jun. 2012, p. 11-27.

SOUZA, Jessé. A Ralé Brasileira: quem é e como vive. Belo Horizonte. Ed. UFMG, 2009.

SPINAK, Ernesto. Indicadores cienciometricos. Ciência da Informação. V. 27, n. 2, out. 1998.

WOLTON, Dominique. Informar Não é Comunicar. Porto Alegre: Sulina, 2010.

Publicado

2017-04-26