A relevância da crônica para o projeto de escrita de Luiz Ruffato: formação da autoridade sobre uma temática específica

Cláudia de Albuquerque Thomé, Michele Pereira Rodrigues

Resumo


A crônica é um gênero textual com grande potencial argumentativo. Por isso, comumente projeta o nome do cronista como formador de opinião. O objetivo deste trabalho é investigar a relevância da crônica para o projeto de Ruffato frente ao campo de produção cultural brasileiro. Para isso realizar-se-á uma classificação temática das crônicas de Ruffato publicadas no jornal El País a fim de identificar sob qual tema o autor mais se dedica. Identificamos a predominância de textos que traçam um panorama da situação política brasileira, o que nos permite afirmar que Ruffato se apresenta como uma referência no assunto, tornando-se um representante da opinião de seus leitores, ao mesmo tempo que a forma.


Palavras-chave


Crônica; Formação da autoridade; Luiz Ruffato.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


ALMEIDA, Fernando Afonso de. Enunciação, ethos e gênero de discurso na análise da interação. In: PAULIUKONIS, Maria Aparecida Lino; GAVAZZI, Sigrid. Texto e discurso: mídia, literatura e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna. 2003.

AMOSSY, Ruth. (Org). Imagens de Si no Discurso: a construção do ethos. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2011.

BARDOEL, Jo; DEUZE, Mark. ‘Network journalism’: Converging competencies of old and new media professionals. Australian Journalism Review, v. 23, n. 3, p. 91-103, dez. 2001. Disponível em: https://scholarworks.iu.edu/dspace/bitstream/handle/2022/3201/BardoelDeuze+NetworkJournalism+2001.pdf?sequence=1. Acesso em: 12/01/2018.

BOBBIO, Norberto. Os intelectuais e o poder: dúvidas e opções dos homens de cultura na sociedade contemporânea. Tradução de Marco Aurélio Nogueira. São Paulo, Editora da UNESP, 1997.

BOURDIEU, Pierre. As regras da arte. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

BRIGGS, Asa; BURKE, Peter. Uma história social da mídia: de Gutenberg à Internet. Trad. Maria Carmelita Pádua Dias. 3ª ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2016.

CALADO, Karolina de Almeida; ROCHA, Heitor Costa Lima da. Narrativas jornalísticas sob a luz da pragmática: uma análise das implicações ideológicas a partir da perspectiva de Motta e Habermas. In: SOSTER, D. de A.; PICCININ, F. Q. (Org.). Narrativas midiáticas contemporâneas: perspectivas epistemológicas. Santa Cruz do Sul: Catarse, 2017.

CERQUEIRA, Rodrigo da Silva. Um escritor excepcional, uma obra de exceção: o Inferno Provisório e as movimentações de Luiz Ruffato no campo literário. Tese (doutorado). Universidade Federal de Juiz de Fora. Faculdade de Letras. Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários 2016.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto, 2006.

DUREN, Ricardo Luís. Mais real que a realidade: a obra 1808 e o uso de elementos da narrativa literária pelo jornalismo. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em Letras – Mestrado da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC). 2013.

EGGS, Ekkehard. Ethos aristotélico, convicção e pragmática moderna. In: AMOSSY, Ruth. Imagens de si no discurso. São Paulo: Contexto, 2011. P. 29-56.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. 2ª. Ed. São Paulo: Aleph, 2009.

JOST, François. Seis lições sobre televisão. Porto Alegre: Sulina, 2004.

MOTTA, Luiz Gonzaga. Análise crítica da narrativa. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2013.

PENA, Felipe. Jornalismo, a objetividade subjetiva. Observatório da Imprensa: 06 fev. 2007 – ed. 419. Disponível em: http://observatoriodaimprensa.com.br/jornal-de-debates/jornalismo-a-objetividade-subjetiva/. Acesso em: 30 jun. 2017.

REIS, Marco Aurélio. O subúrbio feito letra: o cotidiano da periferia em crônicas ácidas e carnavalizadas. Tese (doutorado). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Letras, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Literatura. Rio de Janeiro, 2015.

RODRIGUES, Michele Pereira. O cronismo de Luiz Ruffato no El País: narrativas de resistência e engajamento. Dissertação. Mestrado em Comunicação. Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora, MG. 2018.

SODRÉ, Muniz. A narração do fato: notas para uma teoria do acontecimento. Petrópolis: Vozes, 2009.

THOMÉ, Cláudia de Albuquerque. Literatura de ouvido: crônicas do cotidiano pelas ondas do rádio. 1ª. Ed. Curitiba: Appris, 2015.

ZARZALEJO, José Antonio. Comunicação, jornalismo e `fact-checking´. In: LLORENTE & CUENCA. A era da pós-verdade: realidade versus percepção. Revista UNO Desenvolvendo Ideias. Nº 27. 2017.Disponível em: www.revista-uno.com.br/wp-content/uploads/2017/03/UNO_27_BR_baja.pdf. Acesso em: 19/12/2017.




DOI: https://doi.org/10.22409/contracampo.v0i0.28519

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Qualis: B1
ISSN: 2238-2577