Experiência algorítmica: ação e prática de dado na plataforma Instagram

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22409/contracampo.v0i0.40472

Palavras-chave:

Experiência, Algoritmos, Instagram

Resumo

O objetivo deste artigo é investigar a relação entre a prática de dado e as ações algorítmicas em plataformas digitais. Para isso, fazemos uma análise descritiva dos documentos do Instagram que são dirigidos aos seus usuários, identificando o que sugere ação e consequência prática das materialidades digitais em termos de produção, compartilhamento e coleta. Através deles, observamos a centralidade da experiência nesse tipo de construção informacional, desenvolvida na relação com processos de dataficação – a qual chamamos de experiência algorítmica. A partir de uma perspectiva pragmatista e neomaterialista, sugerimos segui-la buscando perceber as diferenças práticas produzidas no uso de plataformas digitais e identificando interações relevantes em práticas situadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Lemos, Universidade Federal da Bahia

Professor titular da Facom/UFBA, Pesquisador 1A do CNPq e diretor do Laboratório de Pesquisa em Mídia Digital, Redes e Espaço (Lab404), do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas (Póscom/UFBA)

Leonardo Pastor, Universidade Federal da Bahia

Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia e pesquisador do Laboratório de Pesquisa em Mídia Digital, Redes e Espaço (Lab404).

Referências

ALLDRED, Pam; FOX, Nick. J. Sociology and the New Materialism: Theory, Research, Action. London: SAGE Publications, 2017.

BARAD, Karen. Meeting the universe halfway: quantum physics and the entanglement of matter and meaning. Durham/London: Duke University Press, 2007.

BITENCOURT, Elias. Smartbodies. Corpo, tecnologias vestíveis e performatividade algorítmica: um estudo exploratório dos modos heurísticos de corporar na plataforma Fitbit. Tese (Doutorado em Comunicação e Cultura Contemporâneas) – Universidade Federal da Bahia, 2019.

BUCHER, Taina. Want to be on the top ? Algorithmic power and the threat of invisibility on Facebook. New media & society, v. 14, n. 7, p. 1164-1180, 2012.

BUCHER, Taina. If... then: Algorithmic power and politics. New York: Oxford University Press, 2018.

D’ANDRÉA, Carlos. F. de B. Cartografando controvérsias com as plataformas digitais: apontamentos teórico-metodológicos. Galáxia, n. 38, p. 28-39, ago. 2018.

DEBAISE, Didier. Introduction. In: DEBAISE, Didier. (Ed.). Vie et expérimentation: Peirce, James, Dewey. Paris: Vrin, 2007. p. 7-15.

DIJCK, José Van; POELL, Thomas. Understanding the promises and premises of online health platforms. Big Data & Society, v. 3, n. 1, p. 1-11, jun. 2016.

DIRETRIZES da Comunidade. Instagram, sem data de publicação informada, 2019b. Disponível em: https://help.instagram.com/477434105621119. Acesso em: 12 ago. 2019.

DOURISH, Paul. Algorithms and their others: Algorithmic culture in context. Big Data & Society, v. 3, n. 2, p. 1-11, dez. 2016.

DOURISH, Paul. The stuff of bits: An essay on the materialities of information. Cambridge, MA: MIT Press, 2017.

GILLESPIE, Tarleton. The politics of ‘platforms’. New Media & Society, v. 12, n. 3, p. 347-364, 2010.

GILLESPIE, Tarleton. The relevance of algorithms. In: GILLESPIE, Tarleton; BOCZKOWSKI, Pablo J.; FOOT, Kirsten A. (Eds.). Media technologies: Essays on communication, materiality, and society. Cambridge, MA: MIT Press, 2014.

GILLESPIE, Tarleton. Platforms Intervene. Social Media + Society, v. 1, n. 1, p. 1-2, abr. 2015.

INTRONA, Lucas. Algorithms, Governance, and Governmentality. Science, Technology, & Human Values, v. 41, n. 1, p. 17-49, jan. 2016.

JAMES, William. Essays in Radical Empiricism. New York/London: Longmans, Green, and Co, 1912.

JAMES, William. A pluralistic universe. In: JAMES, William. William James Writings 1902-1910. New York: The Library of America, 1987.

JAMES, William. Pragmatism (1907). In: JAMES, William. Pragmatism and Other Writings. London: Penguin Books, 2000a.

JAMES, William. From The Meaning of Truth (1909). In: JAMES, William. Pragmatism and Other Writings. London: Penguin Books, 2000b.

KITCHIN, Rob. Thinking critically about and researching algorithms. Information Communication and Society, v. 20, n. 1, p. 14–29, 2017.

LAPOUJADE, David. William James Empirisme et pragmatisme. Paris: Les Empêcheurs de penser en rond, 2007.

LATOUR, Bruno. Enquête sur les modes d’existence: une anthropologie des Modernes. Paris: Éditions La Découverte, 2012.

LATOUR, Bruno. Biography of an inquiry: On a book about modes of existence. Social Studies of Science, v. 43, n. 2, p. 287-301, 2013.

LATOUR, Bruno. Down to Earth: Politics in the New Climatic Regime. Cambridge: Polity Press, 2018.

LEMOS, André. Sensibilités performatives. Les nouvelles sensibilités des objets dans les métropoles contemporaines. Sociétés, v. 132, n. 2, p. 75–87, 2016.

LEMOS, André. Epistemologia da comunicação, neomaterialismo e cultura digital. Galáxia, n. 43, p. 54-66, jan-abri. 2020a.

LEMOS, André. Comunicação, Mediação e Modo de Existência na Cibercultura. No prelo. Aprovado para publicação no livro Dossier Bruno Latour, organizado por Francisco Coutinho, Geane Alzamora e Joana Ziller. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2020b.

LEMOS, André. Plataformas, Dataficação e Performatividade Algorítmica (PDPA). Desafios atuais da cibercultura? Aprovado Livro do GP Comunicação, Divulgação Científica, Saúde e Meio Ambiente (ainda sem título definido). São Paulo: Intercom, 2020c. No prelo.

LEMOS, André.; BITENCOURT, Elias. Smartbody and performative sensibility in Fitbit devices. Galaxia, v. 1, n. 36, p. 5–17, 2017.

LEMOS, André.; PASTOR, Leonardo. A Fotografia como Prática Conversacional de Dados: espacialização e sociabilidade digital no uso do Instagram em praças e parques na cidade de Salvador. Comunicação Mídia e Consumo, v. 15, n. 42, p. 10–33, 2018a.

LEMOS, André.; PASTOR, Leonardo. Performatividade algorítmica e experiências fotográficas: uma perspectiva não-antropocêntrica sobre as práticas comunicacionais nos ambientes digitais. Lumina, p. 147–166, 2018b.

MAYER-SCHÖNBERGER, Viktor; CUKIER, Kenneth. Big data: A revolution that will transform how we live, work, and think. New York: Eamon Dolan/Houghton Mifflin Harcourt, 2013.

MOL, Annemarie. The body multiple: ontology in medical practice. Durham & London: Duke University Press, 2002.

MONTARDO, Sandra Portella. Selfies no Instagram: implicações de uma plataforma na configuração de um objeto de pesquisa. Galáxia, n. 41, p. 169-182, 2019.

POLÍTICA de dados do Instagram. Instagram, 19 abr. 2018a. Disponível em: https://www.facebook.com/help/instagram/155833707900388. Acesso em: 12 ago. 2019.

SAVRANSKY, Martin. The adventure of relevance: an ethics of social inquiry. London: Palgrave Macmillan, 2016.

SAVRANSKY, Martin. Pensar el pluriverso: elementos para una fiosofía empírica. Revista Diferencias, n. 8, p. 62-71, 2019.

SOBRE cookies. Instagram, sem data de publicação informada, 2019a. Disponível em: https://help.instagram.com/1896641480634370. Acesso em: 12 ago. 2019.

TERMOS de Uso. Instagram, 19 abr. 2018b. Disponível em: https://help.instagram.com/581066165581870. Acesso em: 12 ago. 2019.

VAN DIJCK, José; POELL, Thomas; WAAL, Martjin de. The Platform Society. New York: Oxford University Press, 2018.

Downloads

Publicado

2020-08-26