Entre o controle e o silêncio

investigações sobre a representação de mulheres encarceradas no discurso televisivo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22409/contracampo.v41i1.52130

Palavras-chave:

Mulheres encarceradas, Imagens de controle, Representação, Discurso televisivo, TVGlobo

Resumo

As mulheres encarceradas representam cerca de 8% da população prisional brasileira e, mesmo sendo considerado baixo, esse é o grupo em que a taxa de encarceramento mais sobe. Utilizando o conceito “imagens de controle” de Collins (2019), que problematiza o uso de sentidos atribuídos às mulheres negras na manutenção de estruturas racistas, inclusive aquelas ligadas ao aparelho penal, objetivamos identificar como são representadas as mulheres encarceradas no Brasil a partir de produções audiovisuais da TV Globo. No mapeamento realizado, encontramos 63 resultados em que foi possível observar a formação de três representações tipificadas, que podem funcionar como imagens de controle no discurso televisivo sobre esse grupo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Ramalho Procópio, Universidade Federal Fluminense

Bolsista CAPES. Doutoranda em Discursos Midiáticos e Práticas Sociais no Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano da Universidade Federal Fluminense. Juiz de Fora, Brasil. E-mail: carlaramalhop@gmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-8980-4301

Carla Baiense Felix, Universidade Federal Fluminense

Carla Baiense - Professora Adjunta do Departamento de Comunicação Social na Universidade Federal Fluminense e no Programa de PósGraduação em Mídia e Cotidiano da UFF. Doutora em Comunicação e Cultura pela ECO/UFRJ. Niterói, Brasil. E-mail: carlabaiense@id.uff.br. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-7287-6170

Referências

AKOTIRENE, Carla. O paí, prezada! Racismo e sexismo institucionais tomando bonde nas penitenciárias femininas. São Paulo: Pólen, 2020.

BORGES, Juliana. Encarceramento em massa. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2019.

BUENO, Winnie. Imagens de controle: um conceito do pensamento de Patricia Hill Collins. Porto Alegre; Zouk, 2020.

COLLINS, Patricia Hill. Pensamento feminista negro: conhecimento, consciência e a política do empoderamento. São Paulo: Boitempo, 2019.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das mídias. 2. Ed. São Paulo: Contexto, 2013.

DAVIS, Angela. Estarão as prisões obsoletas? Rio de Janeiro, Difel, 2020.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da Prisão. Tradução de Raquel Ramalhete. 42. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

LIPPMANN, Walter. Public Opinion. Nova York, MacMillan. 1922.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em psicologia social. Tradução de Pedrinho A. Guareschi. 9. Ed. Petrópolis: Vozes, 2015.

TEMER, Ana Carolina. Flertando com o caos: comunicação, jornalismo e televisão. Goiânia: FIC/UFG, 2014.

WILLIAMNS, Raymond. Televisão: tecnologia e forma cultural. São Paulo: Boitempo; Belo Horizonte, MG: PUC Minas, 2016.

Downloads

Publicado

2022-05-01