PANDEMIA E HISTÓRICO ABANDONO SOCIAL:

FAVELAS SE AUTO ORGANIZAM COM OBJETIVO DE SALVAR VIDAS

Autores

  • Gizele Martins UERJ

Resumo

O artigo a seguir traz como debate a histórica ausência de direitos vivenciada pela população favelada e periférica do Rio de Janeiro, discute ainda algumas das soluções encontradas por esse público diante do agravamento sanitário em tempos de pandemia da Covid-19. Desde o surgimento das primeiras favelas que os governantes não garantem direitos como: água, habitação, saúde, educação, trabalho, mas são os mesmos que gastam recursos públicos para militarizar e controlar. A mídia comercial e a sociedade são grandes apoiadores dessas faltas de direitos e ainda ajudam a estigmatizar essa população. Durante esse período de pandemia, novamente são os moradores de favelas e periferias sofrendo por causa das faltas de direitos. Por isso, numa forma de suprir as próprias necessidades básicas, comunicadores comunitários junto aos moradores locais reinventam suas ações e passam a produzir comunicações e a praticar solidariedade local como forma de diminuir os principais problemas existentes. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-12-19