O mito da desterritorialização econômica

Rogério Haesbaert, Tatiane Tramontani Ramos

Resumo


Este artigo coloca em questão os discursos em  voga  sobre a desterritorialização em  sua perspectiva  econômica, seja como  sinônimo de  globalização  capitalista  (a "sociedade em rede"), como produto do capitalismo pós-fordista ou de acumulação flexível (implicando a deslocalização das empresas) ou  vinculado mais estritamente ao setor financeiro e os circuitos informacionais do "ciberespaço".

Abstract:

This  paper  argues on  the  running discourses about deterritorialization in  its economic approaches, it means, as synonymous of capitalistic globalization (the "network society"), as product of flexible capitalism (involving "delocalization") or, more strictly, as informational circuits of financia1 markets reproduction.

Palavras-chave


Território; Desterritorialização; Globalização; Capitalismo flexível

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/GEOgraphia2004.v6i12.a13478

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Latindex Geodados Periódicos CAPES

GEOgraphia - Revista  do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal Fluminense

Rua Gal. Milton Tavares, s/n, sala 508, Boa Viagem - Niterói - RJ,

CEP 24210-346

Periodiciodade Quadrimestral - ISSN 2674-8126 (Online). Os conteúdos da Revista GEOgraphia estão licenciados em CC BY.