COVID-19: A DOENÇA DOS ESPAÇOS DE FLUXOS

Sonia Aguiar

Resumo


Resumo: O objetivo deste ensaio é chamar a atenção para as possíveis rotas da propagação do novo coronavírus, desde a sua chegada ao Brasil (em um momento incerto por um portador não identificado) até o seu crescente e muito desigual espraiamento pelo território nacional, dos bairros nobres para as periferias das cidades e das capitais para o interior. Identificar a difusão de doenças no tempo e no espaço é uma das vertentes das pesquisas da geografia no campo da saúde, assim como informar o público sobre as ocorrências territorialmente diferenciadas dessa difusão é uma das tarefas das geografias da comunicação. O texto arrisca um diálogo entre essas duas vertentes de estudos interdisciplinares, visando uma perspectiva espacial às diversas interpretações ora em disputa sobre a pandemia da COVID-19.

Palavras chave: pandemia; geografia da saúde; geografia da circulação; geografias da comunicação; espaços de fluxos.

 

COVID-19: A DISEASE OF SPACES OF FLOW

Abstract: This essay aims at draw attention to the possible routes for the spread of the new coronavirus, from its arrival in Brazil (at an uncertain time by an unidentified carrier) to its growing and very uneven spread across the national territory, from the noble neighborhoods to the peripheries of the cities and from the state capitals to the hinterlands. Identifying the spread of diseases in time and space is one of the aspects of geography research in the health field, as well as informing the public about the territorially differentiated occurrences of this diffusion is one of the tasks of the geographies of communication. This paper risks a dialogue between these two strands of interdisciplinary studies, seeking a spatial perspective to the different interpretations now in dispute about the pandemic of COVID-19.

Keywords: pandemic; health geography; circulation geography; communication geographies; flow spaces.

 

COVID-!9: UNA ENFERMEDAD DE  ESPACIOS DE FLUJOS

Resumen: El propósito de este ensayo es llamar la atención sobre las posibles rutas para la propagación del nuevo coronavirus, desde su llegada a Brasil (en un momento incierto por un transportista no identificado) hasta su propagación creciente y muy desigual en todo el territorio nacional, desde los barrios nobles hasta las periferias de las ciudades y desde las capitales de provincia hasta el interior. Identificar la propagación de enfermedades en el tiempo y el espacio es uno de los aspectos de la investigación geográfica en el campo de la salud, así como informar al público sobre los sucesos territorialmente diferentes de esta propagación es una de las tareas de las geografías de la comunicación. Este texto se arriesga a un diálogo entre estas dos líneas de estudios interdisciplinarios, apuntando desde una perspectiva espacial a las diferentes interpretaciones ahora en disputa sobre la pandemia de COVID-19.

Palabras-clave: pandemia; geografía de la salud; geografía de circulación; geografías de comunicación; espacios de flujo.

 

Palavras-chave


pandemia; geografia da saúde; geografia da circulação; geografias da comunicação; espaços de fluxos

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/GEOgraphia2020.v22i48.a42848

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Latindex Geodados Periódicos CAPES

GEOgraphia - Revista  do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal Fluminense

Rua Gal. Milton Tavares, s/n, sala 508, Boa Viagem - Niterói - RJ,

CEP 24210-346

Fluxo contínuo - ISSN 2674-8126 (Online). Os conteúdos da Revista GEOgraphia estão licenciados em CC BY.