Sobre a Revista

Foco e Escopo

A revista Gragoatá tem como missão a divulgação nacional e internacional de artigos inéditos, de traduções e de resenhas de obras que representem contribuições relevantes tanto para reflexão teórica quanto para a análise de questões, procedimentos e métodos específicos nas áreas de Linguagem e Literatura.

A Revista Gragoatá é uma publicação do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem e do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Literatura da Universidade Federal Fluminense. O periódico iniciou suas atividades em 1996, no âmbito do antigo Programa de Pós-Graduação em Letras da UFF, e, até 2017, publicou semestralmente dois números dedicados a textos inéditos, sob a forma de artigos ou resenhas de obras acadêmicas, marcados pela excelência e relevância para as áreas de Linguagem e Literatura. A partir de 2017, a periodicidade passou a ser quadrimestral.
Os números são temáticos de acordo com questões de interesse aos estudos de linguagem e de literatura.

A partir do número 61, de 2023, a Gragoatá inicia a seção Varia, com artigos de tema livre dentro dos Estudos de Linguagem e dos Estudos de Literatura, recebendo artigos sob a modalidade de publicação contínuada, os quais vão integrar o número correspondente ao lado dos dossiês temáticos. Nessa medida, a seção Varia recebe artigos em fluxo contínuo, independentemente das chamadas para os dossiês temáticos. Os artigos da seção Varia seguem as normas gerais da revista Gragoatá.

A SEÇÃO VARIA NÃO ESTÁ ABERTA PARA O RECEBIMENTO DE ARTIGOS ATÉ A ABERTURA DA PRIMEIRA CHAMADA

A Equipe Editorial é formada pelas Editoras-chefes e seus Editores Assistentes, pelos Editores Associados e por um Conselho Consultivo de 60 especialistas, além da Equipe Técnica de revisores. Os Editores Associados contam com 7 membros internos à UFF, que representam a coordenação e as linhas de pesquisa dos referidos Programas, e com 2 membros de universidades estrangeiras. No Conselho Consultivo há especialistas das distintas áreas de conhecimento, de instituições de renome nacional e internacional, refletindo as linhas de pesquisa dos Programas e suas redes acadêmicas nacionais e internacionais de trabalho. As editoras-chefes e os editores associados são responsáveis pelas boas práticas editoriais e pela condução da discussão das políticas editoriais da revista.

O mandato de cada Editor-chefe com os Editores-Assistentes e de cada Editor Associado representante da UFF é de 4 anos, estabelecendo-se um rodízio que tanto permita a renovação de quadros quanto assegure a continuidade da linha editorial da Revista Gragoatá. Os membros externos que atuam como editor de seção são convidados, a cada número, pelos Editores associados, com a aprovação dos Editores-Chefes. Esse editores colaboram na definição dos temas e das ementas de cada número, sugerem avaliadores para as submissões e examinam os artigos e resenhas encaminhados para publicação.

O Conselho Consultivo, constituído por pesquisadores de renome nacional e internacional, também atua na organização de novos números e na avaliação de submissões, assegurando ampla divulgação da Gragoatá, com sugestões necessárias à sua atualização e visibilidade ao conectar o periódico aos centros de pesquisa referenciados nacional e internacionalmente.

Processo de Avaliação por Pares

Os artigos e resenhas encaminhados devem obrigatoriamente estar de acordo com as normas de submissão. 

Artigos livres para a seção Varia devem ser submetidos como Preprint, sendo avaliado de modo aberto. [SEÇÃO A SER IMPLEMENTADA - NÃO ESTÁ ABERTA PARA O RECEBIMENTO DE ARTIGOS]

[Para saber mais sobre Preprint, leia este artigo]

Após a avaliação de adequação e escopo e ao controle e verificação de similaridade, as propostas recebidas são encaminhadas prioritariamente a dois pareceristas do Conselho Consultivo ou a pareceristas ad hoc indicados pelo editor chefe ou pelo editor do dossiê, especialistas na área ou tema das propostas, num processo de avaliação por pares duplo-cego, de modo a manter e a garantir a isenção de julgamento, este sempre pautado no mérito acadêmico. Em caso de divergência na avaliação, o texto é encaminhado a um terceiro avaliador responsável pelo resultado final.

Gragoatá, em sintonia com as práticas da ciência aberta, encoraja a abertura do processo de avaliação, caso autor e avaliador fizerem esta opção, o que é encorajado.  Nessa modalidade, os pareceres podem ser divulgados antes e/ou junto com a publicação. Caberá ao autor indicar sua opção no “Formulário de Conformidade com a Ciência Aberta”.  O avaliador, por sua vez, deve informar sua preferência quando indicar sua disponibilidade de avaliação. 

Na avaliação de artigos e resenhas, são considerados os seguintes quesitos: adequação ao tema da revista; objetividade e clareza de expressão; utilização de linguagem técnico-científica; princípios teórico-metodológicos pertinentes ao desenvolvimento do artigo; originalidade da reflexão; relevância para a área de estudo; atualização bibliográfica e consistência metodológica.

As propostas são aceitas na íntegra ou aprovadas parcialmente, neste caso, com retorno ao(s) autor(es) para pequenos ajustes, ou ainda recusadas na íntegra.

Por motivos técnicos, como um grande volume de submissões, os editores reservam-se o direito de estabelecer prioridades para a inclusão do artigo na edição. Assim, um artigo mesmo aprovado pelos avaliadores pode eventualmente não ser indicado para publicação.

Periodicidade

A Gragoatá adota a modalidade de publicação continuada, sendo os artigos da seção Varia publicados à medida em quem aprovados, respeitado o quantitivo de artigos anuais definido pela Equipe Editorial.

A SEÇÃO VARIA NÃO ESTÁ ABERTA PARA O RECEBIMENTO DE ARTIGOS ATÉ A ABERTURA DA PRIMEIRA CHAMADA

Os dossiês temáticos, que são alternados entre a área de Estudos de Linguagem e a área dos Estudos de Literatura, são organizados quadrimestralmente, sendo os lançamentos previstos para o primeiro mês de cada quadrimestre: janeiro, maio e setembro.

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

A revista não cobra encargos para submissão, nem para o processamento e publicação dos artigos (APCs).

 

Política de Adesão à Ciência Aberta

A partir do segundo semestre de 2022, a revista Gragoatá, em consonância com os princípios da Ciência Aberta, passa a implementar ações para integrar e efetivar a abertura, publicidade e ampla discussão dos dados e resultados das pesquisas objeto dos artigos submetidos para avaliação.

Para tanto, a revista Gragoatá busca implementar ações editoriais para: 

(a) promover, conforme apropriado, práticas de avaliação de revisão por pares, incluindo possível divulgação da identidade dos revisores publicamente disponíveis e das avaliações e possibilitando que uma comunidade mais ampla forneça comentários e participe do processo de avaliação;

(b) desenvolver estratégias participativas para identificar as necessidades das comunidades e destacar questões socialmente relevantes a serem incorporadas nas agendas de pesquisa;

(c) promover práticas de acesso mais rápido ao resultado das pesquisa;

Princípios éticos

Em consonância com as boas práticas para fortalecer padrões de ética e de responsabilidade na comunicação e na publicação científicas, a Gragoatá defende processos de avaliação íntegros,  transparentes e democráticos.  A responsabilidade pela publicação dos números de Linguagem e de Literatura cabe ao editor chefe de cada área, respectivamente.

Apoio

Fontes de Apoio

A Revista Gragoatá é publicada com apoio da Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação da UFF, bem como dos programas de pós-graduação em Estudos de Linguagem e Estudos de Literatura da UFF, no âmbito do Instituto de Letras.

Histórico do periódico

A Revista Gragoatá originou-se da iniciativa do corpo docente do antigo Programa de Pós-Graduação em Letras da UFF, tendo seu primeiro número impresso publicado no segundo semestre de 1996.

Com periodicidade semestral, em 2006, é implementado o site eletrônico da revista, marcando a publicação de seu número 20. A partir de então, os números passam a ser disponibilizados também nas versões impressa e eletrônicas na íntegra.

A partir do número 36, a Gragoatá passa a integrar o Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER), tornando-se inteiramente online. Em 2017, tem sua periodicidade alterada para quadrimestral, a fim de absorver mais artigos, distribuídos pelos três números anuais.

A partir do número 61, de 2023, a Gragoatá inicia a seção Varia, com artigos de tema livre dentro dos Estudos de Linguagem e dos Estudos de Literatura, recebendo artigos em Preprint, que após aprovados, serão publicado na modalidade de publicação contínua, os quais vão integrar o número correspondente ao lado dos dossiês temáticos. Nessa medida, a seção Varia recebe artigos em fluxo contínuo, independentemente das chamadas para os dossiês temáticos. Os artigos da seção Varia seguem as normas gerais da revista Gragoatá.

[para saber mais sobre Preprint acesse este artigo]

A revista Gragoatá está avaliada como Qualis A2 pela CAPES  e está indexada em diversos indexadores e em processo de adequação aos critérios da SciELO (Scientific Electronic Library Online).