Um golpe de vista midiático: o discurso da charge entre imagens e imaginários

Eveline Coelho Cardoso

Resumo


O presente trabalho apresenta uma descrição do gênero discursivo charge, tendo por base os pressupostos da Teoria Semiolinguística de Análise do Discurso (CHARAUDEAU, 2010). Sob tal perspectiva, esse texto multimodal se limita às cláusulas de um contrato comunicativo midiático, cujas restrições conduzem à elaboração de um acontecimento comentado, equilibrado entre um duplo desejo de informar e captar. Por outro lado, desfrutando das liberdades de um “traço texto” de natureza humorística e irônica e plenamente afastado da objetividade jornalística, o enunciador chargista explora estratégias específicas de apelo da emoção mais do que da razão, o que está ancorado em saberes diversos, que permeiam as trocas comunicativas e sustentam sistemas coletivos de representações. Com o apoio da Teoria das Representações Sociais (MOSCOVICI, 2013; JODELET, 2001), veremos de que maneira tais saberes são explorados no comentário verbo-visual chargístico, impregnando de sentidos sua estrutura altamente condensada – que não se deixa interpretar à primeira vista. A peça que aqui nos serve como objeto de estudo é do cartunista carioca Carlos Latuff e traduz um olhar intertextual sobre a educação no Rio de Janeiro.


Palavras-chave


Semiolinguística; Mídias; Contrato de Comunicação; Imaginários Sociodiscursivos; Charge.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/gragoata.v24i50.34164

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 


A Gragoatá é uma revista dos Programas de Pós-graduação em Letras da UFF:

Ir para Pós Estudos de Linguagem Ir para Pós Estudos de Literatura


ISSN (impresso) 1413-9073 - de 1996 a 2013
ISSN (online) 2358-4114 - de 2014 em diante


A Gragoatá está indexada nas seguintes bases:

Portal de Periódicos da UFF

Latindex Porbase Google Acadêmico Diadorim Periódicos Capes EZB DOAJ Sumários.Org ErihPlus


Licença Creative Commons
A Gragoatá utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.