Apocalipses e catástrofes: o lugar da distopia em narrativas contemporâneas da literatura e do cinema angolanos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22409/gragoata.v26i55.47011

Palavras-chave:

Angola. Literatura. Cinema. Distopia. Resistência.

Resumo

O artigo almeja refletir acerca de temporalidades e tempos distópicos presentes em narrativas contemporâneas de Angola, tanto no âmbito da literatura como do cinema. Com base nos romances O desejo de Kianda (1995) e O quase fim do mundo (2008), de Pepetela, e no filme Ar condicionado (2020), do cineasta Fradique (Mário Bastos) e do produtor Jorge Cohen, pretende-se efetuar um levantamento de representações alegóricas, investigando e discutindo seus respectivos significados e o lugar da crítica e da resistência em narrativas consideradas distópicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carmem Lucia Tindó Secco, UFRJ

Faculdade de Letras - UFRJ

Departamento de Letras Vernáculas

Setor de Literaturas Africanas de Língua Portugusa

 

 

Downloads

Publicado

2021-05-01

Como Citar

Tindó Secco, C. L. (2021). Apocalipses e catástrofes: o lugar da distopia em narrativas contemporâneas da literatura e do cinema angolanos. Gragoatá, 26(55), 664-688. https://doi.org/10.22409/gragoata.v26i55.47011

Edição

Seção

v. 26 n. 55 (2021): Distopia na arte contemporânea: uma estética de resistência