A abordagem decolonial da crítica em Meu país é um corpo que dói

Autores

Palavras-chave:

Decolonial, Meu país é um corpo que dói, Claudete Daflon

Resumo

Meu país é um corpo que dói reflete a autoria crítica de Claudete Daflon sendo elaborada além de um estabelecimento enrijecido de sistemas e metodologias. As “leituras-escutas”, talvez consequências de um gesto insubmisso, impelem a autora a uma posição clara no debate contemporâneo sobre a modernidade e a violência de uma conformação geosituada da experiência, do conhecimento e da consciência. Apostando no protagonismo da América Latina e no aprofundamento e reconhecimento de identidades comunitárias culturais, estéticas, linguísticas e étnicas, Daflon questiona a convicção do sistema-mundo na universalidade da humanidade. Justamente o sistema que, segundo pensa, fez e ainda faz da América Latina o palco das “seletividades perversas”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-09-06

Como Citar

Pinto, L. R. V. (2022). A abordagem decolonial da crítica em Meu país é um corpo que dói. Gragoatá, 27(59), e54070. Recuperado de https://periodicos.uff.br/gragoata/article/view/54070