THE CASE FOR LONG-TERM CARE POLICIES: THEORY AND AN OVERVIEW ACROSS THE OECD AND BRAZIL

Autores

  • Larissa dos Santos Domingues UFF

DOI:

https://doi.org/10.0000/hoplos.v3i5.41166

Resumo

À luz tendências demográficas e socioeconômicas da segunda metade do século XX, que trouxeram à tona a urgência do cuidado de idosos, esse artigo apresenta o argumento pelas políticas de cuidado de longo-prazo de um ponto de vista teórico, considerando as especificidades do trabalho de cuidado de idosos e quais são as potencialidades dessas políticas; ademais, apresenta panorama das políticas de cuidado de longo-prazo na OCDE e no Brasil em anos recentes. É encontrada ampla variação no desenvolvimento destas políticas na OCDE, mas que sempre provêm maior cobertura de cuidado de idosos do que no Brasil. Sugere-se que a maioria dos países ainda aborda de forma incipiente os conflitos entre trabalho e
família para cuidadores familiares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa dos Santos Domingues, UFF

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade Federal Fluminense.
Agradeço o apoio da Fundação de Amparo à
Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) através
do programa da Bolsa Nota 10.

Referências

ARAUJO, A. B. Gênero, reciprocidade e mercado no cuidado de idosos. Rev. Estud. Fem., Florianópolis, v. 27, n. 1, e45553, 2019. Disponível em

<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-

X2019000100200&lng=pt&nrm=iso>. acessos em 30 jan. 2019. Epub: 10-Jan-2019. http://dx.doi.org/10.1590/1806-9584-2019v27n145553.

BARR, L. Insurance: Unemployment, sickness, and disability. In: BARR, N. Economics of the Welfare State. 3rd ed. New York: Oxford University Press. 1998.

BATTHYÁNY, K. Desafios para a organização da política de cuidados no Uruguai. In:ARAÚJO, C.; GAMA, A. (Orgs). Entre a casa e o trabalho. Rio de Janeiro: ABE Graph Gráfica e Editora, 2017.

BENERÍA, L. Introducción. La mujer y el género en la economía : un panaroma general. In: DE VILLOTA; ICARÍA; BARCELONA. Macroeconomía y Género. 2003.

BLOFIELD, Merike; MARTÍNEZ FRANZONI, Juliana. Maternalism, co-responsibility, and social equity: a typology of work–family policies. Social Politics: International Studies in Gender, State &

Society, v. 22, n. 1, p. 38-59, 2015

BONOLI, G. The politics of the new social policies: Providing coverage against new social risks in mature welfare states. Policy and Politics, v. 33, n. 3, p. 431–449, 2005.

BORCHORST, A.; SIIM, B. The women- friendly welfare states revisited. NORA - Nordic Journal of Feminist and Gender Research, v. 10, n. 2, p. 90–98, 2002.

COLOMBO, F. et al. Help Wanted? Providing and Paying for Long-Term Care. OECD Health Policy Studies, OECD Publishing. 2011.

CUKROWSKA-TORZEWSKA, E. Cross-Country Evidence on Motherhood Employment and Wage Gaps: The Role of Work–Family Policies and Their Interaction. Social Politics: International Studies in Gender, State & Society, v. 24, n. 2, p. 178–220, 1 jun. 2017.

DEBERT, G. G. Políticas Públicas Diante do Envelhecimento no Brasil. In: ABREU, A. R. P; HIRATA, H; LOMBARDI, M. H. Gênero e Trabalho no Brasil e na França. Boitempo, 2016. 288p.

DOMINGUES, L. S. Políticas de conciliação trabalho-família no Brasil no século XXI: uma análise das condições em três dimensões.2018. 60p. Monografia (Graduação em Ciências Econômicas) - Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

ESPING-ANDERSEN, G. The incomplete revolution: adapting to women’s new roles. Cambridge: Polity, 2009.

______________. Social Foundations of Postindustrial Economies. New York: Oxford University Press, 1999.

______________. The Three Worlds of Welfare Capitalism. Princeton: Princeton University Press, 1990. 248p.

FRASER, N. Contradictions of Capital and Care. New Left Review, v. 100, n. July Aug 2016, p. 99– 117, 2016. 58

GAMA, A.; ROCHA, L; ROMERO, K. Percepções sobre o papel das políticas relacionadas ao trabalho e à vida familiar. In:ARAÚJO, C.; GAMA, A. (Orgs). Entre a casa e o trabalho. Rio de Janeiro: ABE Graph Gráfica e Editora, 2017.

GUEDES, G. P. KERSTENEZKY, C. L. Carência de Serviços Públicos de Cuidados aos Idosos no Brasil: um Inibidor da Participação Feminina no Mercado de Trabalho. Texto para Discussão nº 82, CEDE. 2013.

IVERSEN, T.; WREN, A. Equality, Employment, and Budgetary Restraint: The Trilemma of the Service Economy. World Politics, v. 50, nº 4, 1998. p. 507-546.

KERSTENETZKY, C. L. Estará o futuro da Social Democracia nas mãos das mulheres? RDRST, v. 3, n. 1, p. 102–124, 2017.

______________. O estado do bem-estar social na idade da razão: a reinvenção do estado social no mundo contemporâneo. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012. 295p.

LEITNER, S. Varieties of familialism: the caring function of the family in comparative perspective. European Societies, v 5, n. 4, 2003, p. 353–375.

LEWIS, J. Work-family Balance, Gender and Policy. Cheltenham: Edward Elgar Publishing, 2009.

OLIVETTI, C.; PETRONGOLO, B. The Economic Consequences of Family Policies: Lessons from a Century of Legislation in High-Income Countries. IZA Institute of Labour Economics DP No. 10505. 2017. 45p.

SOUZA, L. P. Normas de Gênero: Constrangimentos e Limitações na Atuação Econômica Feminina. 2018. 131p. Tese (Doutorado em Ciências Econômicas) - Faculdade de Economia, Universidade Federal do Fluminense, Niterói, 2018.

Downloads

Publicado

2020-03-25

Como Citar

Domingues, L. dos S. (2020). THE CASE FOR LONG-TERM CARE POLICIES: THEORY AND AN OVERVIEW ACROSS THE OECD AND BRAZIL. Revista Hoplos, 3(5), 45-58. https://doi.org/10.0000/hoplos.v3i5.41166

Edição

Seção

Artigos