Internet das Coisas: Um olhar para o consumidor das Gerações Y e Z e para a nova concepção de tempo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22409/rmc.v14i2.38684

Palavras-chave:

Comunicação, Pós-modernidade, Consumo, Novas tecnologias da comunicação.

Resumo

Este artigo aborda concepções que estão em constante mudança no indivíduo pós-moderno, visto como uma figura fragmentada que apresenta transformações contínuas em suas relações pessoais e também com objetos conectados, sob a perspectiva da Internet das Coisas. Nosso objetivo é investigar o perfil do jovem consumidor dessas inovações, as Gerações Y e Z. Para tanto, correlacionamos pós-modernismo às novas tecnologias e ao consumo, tendo fundamentação em: Bauman (1998, 2001 e 2007), Giddens (1991), Hall (2011), Harvey (2000), Lemos (2002 e 2013), Levy (2010) e Santaella (2013). O estudo é relevante ao refletirmos de que forma as modernas tecnologias de informação e comunicação irão reconfigurar ainda mais a sociedade, moldada sob um novo tempo proporcionado pela globalização e pela ubiquidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Grace da Cunha, Universidade Santo Amaro (UNISA)

Mestra em Ciências Humanas pela Universidade Santo Amaro (UNISA/SP) e pós-graduada em Marketing Digital e em Gestão Estratégica do Ensino Superior.

Marcos Júlio Sergl, Universidade Santo Amaro (UNISA/SP).

Pós-Doutor em Comunicações pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Professor no Mestrado Interdisciplinar em Ciências Humanas e líder do Grupo de Estudos em Comunicação da Universidade Santo Amaro (UNISA/SP).

Referências

BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

________, Zygmund. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

________, Zygmund. Vida líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.

BRIGATTO, Gustavo. Em 2025, robô da web vai fazer compras e entregar em casa. Valor Econômico, São Paulo, 28 ago. 2018. Disponível em <https://www.valor.com.br/empresas/5777571/em-2025-robo-da-web-vai-fazer-compras-e-entregar-em-casa>. Acesso em: 08 Set. 2018.

BRASIL. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Cartilha de Cidades. Brasília, 2018.

DIAS, Renata Rampim de Freitas. Internet das coisas sem mistérios: uma nova inteligência para os negócios. São Paulo: Netpress Books, 2016.

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. São Paulo: Editora UNESP, 1991.

GILÓ, Naum. Arrogância, impaciência e ansiedade são os maiores defeitos da geração y. O Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte, 20 ago. 2017. Disponível em <https://www.em.com.br/app/noticia/especiais/educacao/2017/08/20/internas_educacao,893520/arrogancia-impaciencia-e-ansiedade-sao-os-maiores-defeitos-da-geracao.shtml>.Acesso em: 16 Ago. 2018.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2011.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. Uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. 9. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2000.

HEPPELMANN, James E.; PORTER, Michael E.How smart, connected products are transforming companies. Harvard Business Review. Boston, Estados Unidos. 2015. Disponível em <https://hbr.org/2015/10/how-smart-connected-products-are-transforming-companies>. Acesso em: 08 Jul. 2018.

KOJIKOVSKI, Gian. Agora é com eles. Revista Exame, São Paulo, 6 dez. 2017. Capa, Negócios, p. 36 – 44.

LANCASTER, Lynne C.; STILLMAN, David. O y da questão: como a geração y está transformando o mercado d e trabalho. São Paulo: Saraiva, 2010.

LEMOS, André. Cibercultura, tecnologia e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2002.

______, André. A comunicação das coisas: teoria ator-rede e cibercultura. São Paulo: Annablume, 2013.

LÉVY, Pierre. Cibercultura.3. ed. São Paulo: Editora 34, 2010.

MEIR, Jacques. As 6 características fundamentais da Geração Z. Consumidor Moderno, São Paulo. 22 Set. 2017. Disponível em <http://www.consumidormoderno.com.br/2017/09/22/caracteristicas-fundamentais-geracao-z/>. Acesso em: 16 Ago. 2018.

MENDONÇA, Heloisa. Conheça a geração Z: nativos digitais que impõem desafios às empresas. El Pais, fev. 2015. Disponível em: <http://brasil.elpais.com/brasil/2015/02/20/politica/1424439314_489517.html>.Acesso em: 1 Nov. 2015.

MORAES, Soraya Lódola. Geração Y: quem são, onde estão e o que compram. São Paulo: Clube dos Autores, 2011.

OLIVEIRA, Sérgio. Internet das Coisas com ESP8266, Arduino e Rasperry PI. São Paulo: Novatec, 2017.

OLIVEIRA, Sidnei.Gerações: encontros, desencontros e novas perspectivas. São Paulo:Integrare Editora, 2016.

OLIVETE, Cris. Geração Z ganha espaço e desafia o RH. Estadão, São Paulo. 23 jul. 2018. Disponível em <https://economia.estadao.com.br/blogs/radar-do-emprego/geracao-z-ganha-espaco-e-desafia-o-rh/>. Acesso em: 16 Ago. 2018.

POSTSCAPES. Internet ofThings (IOT) history.2016. Disponível em: <https://www.postscapes.com/internet-of-things-history/>. Acesso em: 15 Jul. 2017.

ROCHA, Cleomar; SANTAELLA, Lucia (org.). A onipresença dos Jovens nas Redes. Goiânia, GO: Funape: Media Lab / Ciar UFG / Gráfica UFG, 2015.

ROSA, João Luiz. Ansiedade e frustação marcam geração Z. Valor Econômico, São Paulo. 11 Abr. 2018. Disponível em<https://www.valor.com.br/empresas/5443809/ansiedade-e-frustracao-marcam-geracao-z>. Acesso em: 08 Set. 2018.

SANTAELLA, Lucia. Comunicação ubíqua: repercussões na cultura e na educação. 17. ed. São Paulo: Paulus, 2013.

SOLOMON, Michel R. O comportamento do consumidor: comprando, possuindo e sendo. 9. ed..Porto Alegre: Bookman, 2011.

YARROW, Kit. Decoding the new consumer mind: how and why we shop and buy.São Francisco: Jossey-Bass, 2014.

Downloads

Publicado

2020-05-28