O desenvolvimento da escrita feminina na imprensa da Paraíba: um olhar para a crônica e para a história das mulheres

Autores

  • Maryellen Ingrid A. Bãdãrãu Universidade Federal da Paraíba/Programa de Pós-graduação em Comunicação https://orcid.org/0000-0002-0491-8375
  • Sandra Raquew dos Santos Azevêdo Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.22409/rmc.v14i2.38824

Palavras-chave:

gênero, escrita feminina, imprensa, cotidiano, jornalismo paraibano

Resumo

Este artigo tem como objetivo introduzir a temática da escrita feminina na imprensa paraibana. Como parte de uma dissertação que abordou o estudo da crônica feminina no âmbito local, relatamos a crescente entrada das mulheres na imprensa ao longo dos séculos, culminando nos dias atuais em uma participação plural e especializada. Mas, esse gênero jornalístico se destaca, tenho importante papel na materialização da história das mulheres e do cotidiano. Para entendermos como este fenômeno se deu no cenário paraibano, analisamos primordialmente como a escrita foi importante para o estabelecimento do discurso feminino, desde as escritoras precursoras. A partir disso, debatemos o papel da escrita, nesse caso da crônica, na consolidação desse lugar de fala e representação das mulheres, além de perceber como esta prática social mantém uma relação intrínseca com o cotidiano feminino, revelando as trajetória de vida na imprensa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maryellen Ingrid A. Bãdãrãu, Universidade Federal da Paraíba/Programa de Pós-graduação em Comunicação

É mestra pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal da Paraíba. É bacharela em jornalismo pela mesma universidade.

Sandra Raquew dos Santos Azevêdo, Universidade Federal da Paraíba

Professora Associada da Universidade Federal da Paraíba. Atua no Departamento de Jornalismo e no Programa de Pós Graduação em Comunicação da UFPB. Doutora em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba( 2009). Graduada em Jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba (1997). Especialista e Mestre em Educação(UFPB, 2004). Áreas de atuação: Jornalismo, Mídia-Educação; Estudos de Gênero e Mídia 

Referências

ARRUDA, Angela. Teoria das representações sociais e teorias de gênero. Cad. Pesqui. [online]. 2002, n.117, pp.127-147. ISSN 0100-1574. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742002000300007. Acesso em: 08 ago 2019.

BARBOSA, S. F. P. CHATEAUBRIAND, A.F.A. (Org.). Pequeno dicionário dos escritores jornalistas da Paraíba do século XIX. João Pessoa: Editora Universitária, 2009. Disponível em: http://www.cchla.ufpb.br/jornaisefolhetins/acervo/pequeno_d.pdf. Acesso em: 08 Ago 2018.

BARBOSA FILHO, Hildeberto. Características da crônica paraibana. [Entrevista em profundidade concedida a Maryellen Bãdãrãu]. João Pessoa-PB, jun 2018.

BERNARDO, Ana Maria Coutinho. Gênero, história e educação na Paraíba: memórias de professoras e escritoras do início do século XX. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba, 2013. Disponível em: http://sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe2/pdfs/Tema5/0516.pdf. Acesso em: 07 ago. 2018.

BUITONI, D. H. S. Mulher de papel: a representação da mulher pela imprensa feminina brasileira. São Paulo: Edições Loyola, 1986.

CASADEI, Eliza Bachega. A inserção das mulheres no jornalismo e a imprensa alternativa: primeiras experiências do final do século XIX. Revista ALTERJOR: Grupo de Estudos Alterjor: Jornalismo Popular e Alternativo (ECA-USP). Ano 02, v.1, 3ed. – jan-jun de 2011.

CERTEAU, Michel de. A Escrita da história. Tradução de Maria de Lourdes Menezes. Revisão técnica [de] Arno Vogel. – Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

DUARTE, Jorge. BARROS, Antônio. Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. ORG. São Paulo: Editora Atlas, 2006. 2ed.

FERNANDES, Jéssica Luana. SILVA, Shirley Targino. Mulher, imprensa e educação na paraíba da década de 1930. Anais [...] Congresso Brasileiro de História da Educação, 9. João Pessoa – Universidade Federal da Paraíba – 15 a 18 de agosto de 2017.

FIGUEIRAS, R. As mulheres comentadoras na imprensa de referência portuguesa. Revista Alceu, Rio de Janeiro, PUC-Rio, 2011.

GOMES, Angela de Castro (org.). Escritas de si, escritas da história. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

GOTTARDI, Ana Maria. A crônica na mídia impressa. São Paulo: Arte & Ciência, 2007.

JINZENJI, Mônica Yumi. Leitura e escrita femininas no século XIX. Cadernos Pagu, n. 38, jan/jun de 2012:367-394. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cpa/n38/n38a13.pdf Acesso em: out 2018.

MAGALHÃES, Sara. ALVAREZ, Teresa (org.). Mulheres e Media. Lisboa: Associação portuguesa de estudos sobre as mulheres, 2014.

MACHADO, Charliton José dos Santos. A Dimensão da Palavra: práticas de escrita de mulheres. João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 2005.

MATOS, Maria Zilda dos Santos de. História das mulheres e das relações de gênero: campo historiográfico, trajetórias e perspectivas. Mandrágora, v.19. n. 19, 2013, p. 5-15.

NASCIMENTO, R. C. G. Escrever/Inscrever-se: Práticas de (Re) criação de si nos escritos femininos na Paraíba na década de 1930. Campina Grande: Congresso Nacional de Educação, UFCG, 2013.

NUNES, M. L. S.; MACHADO, C. J. S. Uma página Feminina: escritos para a educação das mulheres paraibanas (década de 1930). Revista HISTEDBR On-line, v. 1, p. 189-206, 2013. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640177/7736> Acesso em: 08 Ago. 2018.

______. Sobre a pesquisa dos escritos femininos paraibanos. Universidade Federal da Paraíba, Programa Espaço Experimental, 14 Ago 2016. Entrevista concedida ao Programa Laboratório de Radiojornalismo “Espaço Experimental”. Disponível em: <http://espacoexperimental.blogspot.com.br/2016/08/pesquisa-faz-levantamento-de-escritos.html>. Acesso em: 21 jul. 2018.

PAIVA, Kelen Benfenatti; DUARTE, Constância Lima. A mulher de letras: nos rastros de uma história. Ipotesi, Juiz de Fora, v. 13, n. 2, p. 11 - 19, jul./dez. 2009.

PEREIRA, Maria do Rosário Alves. A crônica feminina brasileira no século XIX. Fazendo gênero 9: Diásporas, Diversidades e Deslocamentos. Belo Horizonte: UFMG, 2010.

PEREIRA, Wellington. A Comunicação e a cultura no cotidiano. Revista FAMECOS, 2007.

PEREIRA, Wellington. Crônica: Arte do útil ou do fútil? Ensaio sobre a crônica no jornalismo impresso. João Pessoa: Idéia, 1994.

PINHEIRO, A. S. Leitoras e interlocutoras da literatura oitocentista: literatura e gênero no Jornal das Famílias (1863-1878). São Paulo: Edigal, 2010.

SALES, Ana Maria Coutinho. Tecendo fios de liberdade: Escritoras e professoras da Paraíba do começo do Século XX. Tese de doutorado. UFPE: Recife, 2005.

SOUZA, Thiago Oliveira de. CURY, Cláudia Engler. Considerações sobre a instrução na imprensa paraibana oitocentista (1849-1889). Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH • São Paulo, julho 2011.

TELES, Amelinha. LEITE, Rosalina Santa Cruz. Da Guerilha à Imprensa: A construção do feminismo pós-luta armada no Brasil (1975-1980). São Paulo: Editora Intermeios, 2013. (Coletânea Entregêneros).

TEDESCHI, Losandro Antonio. Os desafios da escrita feminina na história das mulheres. Universidade Federal da Grande Dourados: Raído, Dourados, MS, v.10, n.21, jan./jun. 2016. Disponível em: Acesso em: 29 out 2018.

VILAR, Socorro de Fátima Pacífico. O conceito de literatura nos periódicos e jornais do século XIX: um estudo dos jornais paraibanos. Rio de Janeiro: X Encontro Regional da Abralic, 2005. Disponível em:<http://www.cchla.ufpb.br/jornaisefolhetins/estudos.html>. Acesso em: 17 jul 2018.

Downloads

Publicado

2020-05-28