O juramento integralista: uma análise simbólica

Autores

  • Thiago da Costa Amado Universidade Federal Fluminense

Palavras-chave:

Integralismo, Ação Integralista Brasileira, juramento, Plínio Salgado

Resumo

Durante o período de sua existência, a Ação Integralista Brasileira construiu um conjunto de cerimônias próprias, fundamentadas em sua ideologia de tipo fascista. Dentre seus tantos rituais, um deles adquiriu relevância considerável: o juramento. Era ele que marcava o início da militância no movimento, configurando um pacto de adesão movido pela submissão à autoridade de Plínio Salgado. É com base em tal constatação que o presente trabalho pretende avaliar os valores contidos no ritual, com seus consequentes significados, disputas e polêmicas.

 

PURL: http://purl.oclc.org/r.ml/v3n1/a6

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, Ricardo Benzaquen. Totalitarismo e Revolução: o integralismo de Plínio Salgado. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1988.

BALANDIER, Georges.O poder em cena. Brasília, DF: Ed. Universidade de Brasília, 1982.

BERTONHA, João Fábio. A máquina simbólica do Integralismo: controle e propaganda política no Brasil dos anos 30. In: BERTONHA, João Fabio.Sobre a direita: estudos sobre o fascismo, o nazismo e o integralismo. Maringá, PR: Ed. UEM, 2008.

_____________. “Integralismo: um movimento fascista?Uma perspectiva simbólica. In: Boletim do Centro de Memória,Campinas: v. 5, nº 9, PP. 25-32, 1993.

BERTONHA, João F. Plínio Salgado: biografia política. São Paulo: USP (Tese de livre-docência), 2013.

CAVALARI, Rosa Maria Feiteiro. Integralismo: ideologia e organização de um partido de massas no Brasil (1932-1937). Bauru, SP: EDUSC, 1999.

CHASIN, José.O integralismo de Plinio Salgado: forma de regressividade no capitalismo hiper-tardio. 2. ed. Belo Horizonte; São Paulo, SP: UNA: AD Hominem, 1999.

CHAUÍ, M. Apontamentos para uma crítica da Ação Integralista Brasileira, In: CHAUÍ, M; FRANCO, M. S. C. Ideologia e mobilização popular, Rio de Janeiro: CEDEC/Paz e Terra, 1978.

LENHARO, Alcir. Sacralização da Política. Campinas, SP: Papirus, 1989.

MALVANO, Laura. O mito da juventude transmitido pela imagem: o fascismo italiano. In: LEVI, Giovani; SCHIMIDTT, Jean-Claude. História dos jovens 2º: a época contemporânea. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

PAXTON, Robert O.A anatomia do fascismo. São Paulo, SP: Paz e Terra, 2007.

SILVA, Rogério de Souza. “A política como espetáculo”. In: Revista Brasileira de História. São Paulo: v. 25, nº 50, 2005.

SOMBRA, Luiz Henrique; GUERRA, Luiz Felipe Hirtz. Imagens do Sigma. Rio de Janeiro, RJ: Arquivo Público do Estado, 1998

Downloads

Publicado

2017-10-17

Como Citar

Amado, T. da C. (2017). O juramento integralista: uma análise simbólica. Mundo Livre: Revista Multidisciplinar, 3(1), 83-100. Recuperado de https://periodicos.uff.br/mundolivre/article/view/39938

Edição

Seção

Artigos