Os desafios do Benefício de Prestação Continuada para pessoas com deficiência

Autores

Palavras-chave:

Benefício de Prestação Continuada, pessoa com deficiência, burocracia

Resumo

O presente artigo tem como objetivo discutir o Benefício de Prestação Continuada (BPC) para pessoa com deficiência. Os dados foram obtidos a partir de uma pesquisa documental que buscou entender os desafios no acesso ao BPC, que esbarra cada vez mais na burocracia estatal. A partir desses dados, podemos verificar que a maioria das pessoas que chegavam ao setor de Serviço Social do INSS iam em busca do BPC para pessoa com deficiência. Os critérios para a concessão do BPC acabam sendo cada vez mais restritivos e excludentes, em favor dos interesses econômicos, sobre tudo no atual governo. Este benefício não atinge totalmente seus reais objetivos, pois não é garantido a todas as pessoas com deficiência pobres e incapazes para o trabalho, mas somente aos casos mais alarmantes, não resolvendo assim o seu contexto de exclusão daqueles que requerem o BPC, acentuando ainda mais as desigualdades que enfrentam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabelle Silva Paravidino Cunha, Universidade Federal Fluminense

Bacharel em Serviço Social pela Universidade Federal Fluminense, Campos dos Goytacazes, RJ

Ketnen Rose Medeiros Barreto, Universidade Federal Fluminense

Doutora em Serviço Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2017), mestre em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1998) e bacharel em Serviço Social pela Universidade Federal Fluminense (1994). 

Referências

ALENCAR JUNIOR, Osmar Gomes; SALVADOR, Evilasio da Silva. Finanças, fundo público e financiamento da Seguridade Social no Brasil. Katálysis, Florianópolis, v. 18, n. 2, p. 239-248, 2015.

ANTUNES, Ricardo; ALVES, Giovanni. As mutações no mundo do trabalho na era da

mundialização do capital. Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 87, p. 335-351, 2004.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1988.

BRASIL. Lei nº 8.742, 07 de dezembro de 1993. Dispõe sobre a organização da Assistência Social e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 08 dez. 1993.

BRASIL. Decreto nº 6.214, de 26 de setembro de 2007. Regulamenta o benefício de prestação continuada da assistência social devido à pessoa com deficiência e ao idoso. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 27 set. 2007.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social. O Benefício de Prestação Continuada: guia para técnicos e gestores da Assistência Social. Brasília: MDS, 2018.

BRETTAS, Tatiana. Capitalismo dependente, neoliberalismo e financeirização das políticas sociais no Brasil. Temporalis, Brasília (DF), v. 34, p. 53-76, 2017.

CARMO, Michelly Eustáquia do; GUIZARDI, Francini Lube. O conceito de vulnerabilidade e seus sentidos para as políticas públicas de saúde e assistência social. Cadernos Saúde Pública, Brasília (DF), v. 34, n. 3, p. 01-14, 2018.

CASTILHO, Daniela Ribeiro; LEMOS, Esther Luíza de Souza; GOMES, Vera Lúcia Batista. Crise do capital e desmonte da Seguridade Social: desafios (im)postos ao Serviço Social. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 130, p. 447-466, 2017.

DINIZ, Debora; SQUINCA, Flávia; MEDEIROS, Marcelo. Qual deficiência? Perícia médica e assistência social no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 23, n. 11, p. 2589-2596, 2007.

SOUZA FILHO, Rodrigo de. Estado, burocracia e patrimonialismo no desenvolvimento da administração pública brasileira. 397 p. Tese (Doutorado em Serviço Social) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.

GASPAROTTO, Geovana Prante; GROSSI, Patrícia Krieger; VIEIRA, Monique Soares. O ideário neoliberal: a submissão das políticas sociais aos interesses econômicos. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE DEMANDAS SOCIAIS E POLÍTICAS PÚBLICAS NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA, 11., 2014, Santa Cruz do Sul. Anais... p. 1-18. Santa Cruz do Sul: Unisc, 2014.

GASPAROTTO, Geovana Prante; GROSSI, Patricia Krieger. A perspectiva de gênero na política de assistência social: um debate necessário. O Social em Questão, Rio de Janeiro, n. 38, p. 207-226, 2017.

IAMAMOTO, Marilda Vilela; CARVALHO, Raul de. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil. São Paulo: Cortez; Lima, 1986.

MADEIRA, Zelma; GOMES, Daiane de Oliveira. Persistentes desigualdades raciais e resistências negras no Brasil contemporâneo. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 133, p. 463-479, 2018.

MOTA, Ana Elizabete (Org.). O mito da assistência social: ensaios sobre Estado, política e sociedade. São Paulo: Cortez, 2010.

NETTO, José Paulo. Capitalismo monopolista e Serviço Social. São Paulo: Cortez, 1992.

OLIVEIRA, Rodrigo Ferreira. A contrarreforma do Estado no Brasil: uma análise crítica. Urutágua, Maringá ,n. 24, p. 132-146, 2011.

SPOSATI, Aldaíza de Oliveira; FALCÃO, Maria do Carmo; TEIXEIRA, Sônia Maria Fleury. Os Direitos (dos Desassistidos) Sociais. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1995.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2001.

Downloads

Publicado

2020-12-19

Como Citar

Cunha, I. S. P., & Barreto, K. R. M. (2020). Os desafios do Benefício de Prestação Continuada para pessoas com deficiência. Mundo Livre: Revista Multidisciplinar, 6(2), 266-280. Recuperado de https://periodicos.uff.br/mundolivre/article/view/45746

Edição

Seção

Artigos