A saúde do trabalhador frente às reformulações do mundo do trabalho e a ofensiva neoliberal

Um breve estudo com profissionais de serviço social de Campos dos Goytacazes, RJ

Autores

Palavras-chave:

Trabalho, Saúde, Neoliberalismo

Resumo

O presente artigo tem como objetivo compreender como as transformações no mundo do trabalho afetam a classe trabalhadora, identificando assim, os determinantes sociais que impactam na saúde deste trabalhador. Para tanto, recorreu-se a uma pesquisa qualitativa realizada com duas assistentes sociais de uma instituição pública da cidade de Campos dos Goytacazes, RJ, tendo em vista a aproximação com esta realidade, em decorrência da realização do estágio supervisionado em Serviço Social, entre os anos de 2017 e 2019. A aproximação com o contexto empírico proporcionou uma análise sobre os impactos na vida pessoal e profissional destas profissionais, decorrente das atuais transformações no mundo do trabalho e da realidade dicotômica entre modernização e precarização do trabalho. Verificou-se, portanto, que as metamorfoses no mundo do trabalho vêm afetando a vida da classe trabalhadora, em seu sentido mais amplo, isto é, além das consequências sobre a saúde física/social/psicológica, mas, também, com reflexos na vida profissional

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karine de Souza Cruz, Faculdade de Educação São Luís

Pós-graduanda em Gestão de Projetos Sociais pela Faculdade de Educação São Luís, Jabotical, SP. Bacharel em Serviço Social pela Universidade Federal Fluminense. Autor correspondente

Maria Clélia Pinto Coelho, Universidade Federal Fluminense

Professora adjunta do Departamento de Serviço Social, Instituto de Ciências da Sociedade e Desenvolvimento Regional, Universidade Federal Fluminense Campos dos Goytacazes, RJ, Brasil. Mestra em Políticas Sociais pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF)

Referências

ALVES, G. Trabalho e subjetividade – o espírito do toyotismo na era do capitalismo manipulatório. São Paulo: Boitempo, 2011.

AMARAL, A. S.; FERREIRA, A. M. de A. A saúde do trabalhador e a (des) proteção social no capitalismo contemporâneo. Revista Katálysis., Florianópolis, v. 17, n. 2, p. 176-184, jul/dez, 2014.

ANTUNES, R. Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 16 ed. São Paulo: Cortez, 2015.

ANTUNES, R. Dimensões da crise e metamorfoses do mundo do trabalho. Revista Serviço Social e Sociedade, São Paulo, v. 17, n. 50, p. 78-86, abr. 1996.

ANTUNES, R. Riqueza e miséria do trabalho no Brasil II. São Paulo: Boitempo, 2013.

BEZERRA, Juliana. Taylorismo, Fordismo e Toyotismo. Disponível em: https://www.diferenca.com/taylorismo-fordismo-e-toyotismo/. Acessado em: 1 jun. 2019.

BRASIL. [Constituição 1988]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: DF. Senado Federal. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdf. Acessado em: 1 jun. 2019.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 103, de 12 de novembro de 2019. Altera o sistema de previdência social e estabelece regras de transição e disposições transitórias. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc103.htm. Acessado em: 25 out. 2020.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE POLÍTICAS DE SAÚDE. Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde. Departamento de Atenção Básica. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Área técnica de Saúde do Trabalhador. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2001.

BRASIL. SENADO FEDERAL. Reforma trabalhista alterou regras para flexibilizar o mercado de trabalho. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2019/05/02/aprovada-em-2017-reforma-trabalhista-alterou-regras-para-flexibilizar-o-mercado-de-trabalho Acessado em: 25 out. 2020.

BUSS, P. M.; PELLEGRINI FILHO, A. A saúde e seus determinantes sociais. PHYSIS: Revista Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n 1, p. 77-93, 2007.

CFESS. Histórico. Disponível em: http://www.cfess.org.br/visualizar/menu/local/o-cfess. Acessado em: 25 out. 2020.

CFESS. Parâmetros para a atuação dos assistentes sociais na política de saúde. CFESS/CRESS, Brasília, 2010. Série: Trabalho e Projeto Profissional nas Políticas Sociais. Disponível:http://www.cfess.org.br/arquivos/Parametros_para_a_Atuacao_de_Assistentes_Sociais_na_Saude.pdf . Acessado em: 25 out. 2020.

CNDSS. As causas sociais das iniquidades em saúde no Brasil. 2008. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/causas_sociais_iniquidades.pdf. Acessado em: 1 jun. 2019.

COSTA, R. C. R. da.; OLIVEIRA, L. F. de. Sociologia para jovens do século XXI. 3 ed. Rio de Janeiro: Editora Imperial Novo Milênio, 2013.

CRESS. 40 anos do congresso da virada. Disponível em: http://www.cress-es.org.br/40-anos-do-congresso-da-virada/. Acessado em: 25 out 2020.

FAERMANN, Lindamar Alves; MELLO, Cássia Camila Val de. As condições de trabalho dos assistentes sociais e suas implicações no processo de adoecimento dos profissionais. Tex-tos & Contextos, Porto Alegre, v. 15, n. 1, p. 96 - 113, jan./jul. 2016.

FIOCRUZ. Reforma sanitária. Disponível em: https://pensesus.fiocruz.br/reforma-sanitaria/ Acessado em: 9 set. 2020.

G1. Saiba o que muda com a reforma da previdência. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/11/12/saiba-o-que-muda-com-a-reforma-da-previdencia.ghtml. Acessado em: 25 out. 2020.

IAMAMOTO, M. V. Serviço social em tempo de capital fetiche: capital financeiro, trabalho e questão social. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2010.

IAMAMOTO, M. V. Renovação e conservadorismo no Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2011.

IAMAMOTO, M. V.; CARVALHO, R. de. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil: esboço de uma interpretação histórico-metodológica. 41 ed. São Paulo: Cortez, 2014.

INFOESCOLA. Estado de Bem-Estar Social. Disponível em: https://www.infoescola.com/sociedade/estado-de-bem-estar-social/. Acessado em: 25 out. 2020.

MARX, K. O Capital: crítica da economia política. Livro I: o processo de produção do capital. 16 ed. - São Paulo: Boitempo, 2013.

MENDES, S. M. R.; WUNSCH, D. S. Trabalho, classe operária e proteção social: reflexões e inquietações. Revista Katálysis, Florianópolis, v. 12, n. 2, p. 241-248, jul./dez., 2009.

YUNES, R. M. Discopatia degenerativa da coluna lombar. Disponível em: https://www.dryunes.com/doencas-da-coluna/discopatia-degenerativa-lombar/. Acessado em: 25 out. 2020.

Downloads

Publicado

2020-12-19

Como Citar

Cruz, K. de S., & Coelho, M. C. P. (2020). A saúde do trabalhador frente às reformulações do mundo do trabalho e a ofensiva neoliberal: Um breve estudo com profissionais de serviço social de Campos dos Goytacazes, RJ. Mundo Livre: Revista Multidisciplinar, 6(2), 400-420. Recuperado de https://periodicos.uff.br/mundolivre/article/view/46486

Edição

Seção

Sessão temática