O serviço social no CAPS-AD

Fatores associados à interação entre dependência química e o estar em situação de rua

Autores

Palavras-chave:

Pessoa em Situação de Rua, Centros de Atenção Psicossocial - Álcool e Outras Drogas, Serviço Social

Resumo

Este artigo visa analisar o trabalho do Serviço Social nos Centros de Atenção Psicossocial – Álcool e outras drogas (Caps-AD), destacando o atendimento aos usuários em situação de rua. Para isso, contou com pesquisa bibliográfica relacionada aos termos “situação de rua”, “Caps-AD” e “serviço social na saúde mental”. A análise expressa a complexidade do contexto de vida de pessoas em situação de rua, trazendo repercussões para o tratamento da dependência química, nos Caps-AD. Destaca os desafios do Serviço Social dos Caps-AD no processo de reinserção social dos usuários, intensificados diante de usuários que se encontram em situação de rua. Trabalho que se norteia por ações educativas e socioassistenciais, sinalizando a promoção da intersetorialidade entre políticas públicas como enfrentamento da gravidade social e sanitária apresentadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thaís Souza Miranda Vasconcelos, Universidade Estadual Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF)

Assistente social no projeto da Terceira Idade, da Universidade Estadual Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF), em Campos dos Goytacazes, Brasil. Pós-graduanda em Serviço Social, pela Faculdade Ensine, Juiz de Fora, MG, Brasil. Bacharel em Serviço Social, Departamento de Ciências Sociais de Campos, Instituto de Ciências da Sociedade e Desenvolvimento Regional, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Viviane Aparecida Siqueira Lopes, Universidade Federal Fluminense

Professora do Departamento de Serviço Social de Campos, da Universidade Federal Fluminense, Brasil. Doutora e Mestre em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública/ Fundação Oswaldo Cruz (ENSP/FIOCRUZ). Especialista em Serviço Social Contemporâneo e Bacharel em Serviço Social, pela Universidade Federal Fluminense (UFF).

Referências

BRASIL. Lei n° 8.080/90, de 19 de setembro de 1980. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial, Brasília, 1990.

Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8080.htm. Acesso em: 4 nov. 2019.

BRASIL. Lei n° 8.662, de 7 de junho de 1993. Dispõe sobre a profissão de Assistente Social e dá outras providências. Diário Oficial, Brasília, 1993. Disponível em: http://www.cfess.org.br/arquivos/legislacao_lei_8662.pdf. Acesso em: 04 out. 2020.

BRASIL. Lei nº 10.216, de 6 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Diário Oficial, Brasília 2001. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10216.htm. Acesso em: 8 jun. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 336, de 19 de fevereiro de 2002. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2002. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt0336_19_02_2002.html. Acesso em: 2 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Residências terapêuticas: o que são, para que servem. Brasília: Ministério da Saúde, 2004. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/120.pdf. Acesso em: 10 jul. 2020.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL (Cefess). Serviço Social e Reflexões Críticas sobre Práticas Terapêuticas. Brasília, DF: Cefess, 2010a. Disponível em: http://www.cfess.org.br/arquivos/doc_CFESS_Terapias_e_SS_2010.pdf. Acesso em: 05 out. 2020.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL (Cefess). Parâmetros para atuação de assistentes sociais na política de saúde. Brasília, DF: Cefess, 2010b. p. 31 – 65. Disponível em: http://www.cfess.org.br/arquivos/Parametros_para_a_Atuacao_de_Assistentes_Sociais_na_Sa ude.pdf. Acesso em: 10 jul. 2020.

COUTINHO, C. N. A democracia como valor universal. Encontros com a civilização brasileira, Rio de Janeiro, RJ, Civilização Brasileira, 1979.

FODRA, R. E. P; ROSA, A. C. Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps-AD): análises dos discursos e da prática no contexto da reforma psiquiátrica e atenção psicossocial. Saúde em debate, Rio de Janeiro, v. 33, n. 81, p. 129-139, jan./abr. 2009.

GOULART, M. S. B; DURÃES, F. A reforma e os hospitais psiquiátricos: histórias da desinstitucionalização. Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte, v. 22, n. 1, p. 112- 120, 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo

Nacional e Pesquisa Amostral sobre a População em Situação de rua, 2007/2008. Brasil: IBGE, 2008. 46 p.

MACHADO, G. S. O trabalho do Serviço Social nos Caps. Revista Textos & Contextos, Porto Alegre, v. 8, n. 2, p. 241-254, jul./dez. 2009.

MACRAE, E. A antropologia: aspectos sociais, culturais e ritualísticos. In: SEIBEL, S. D.; TOSCANO JR. Dependência de Drogas. 1. ed. São Paulo, SP: Atheneu, 2001. p. 25-34.

MARICATO, E. Metrópole, legislação e desigualdade. Estudos Avançados, São Paulo, v. 17, n. 48, p. 151-167, 2003.

MIOTO, R. C. T.; NOGUEIRA, V. M. R. Serviço Social e Saúde: desafios intelectuais e operativos. SER Social, Brasília, v. 11, n. 25, p. 221-243, 2009.

MONTEIRO, S. R. R. P. O marco conceitual da vulnerabilidade social. Sociedade em Debate, Rio de Janeiro, v. 17, n. 2, p. 29-40, jul./dez. 2011.

MOURA, H. C. E.; FARIAS, D. T. M.; SILVA, G. A. A atuação do Serviço Social na Política de Saúde Mental Brasileira: Desafios contemporâneos. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE POLÍTICA SOCIAL E SERVIÇO SOCIAL: DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS, 1, 2015, Londrina, PR. Anais […]. Londrina, PR: UEL, 2015.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). Transtornos devido ao uso de substâncias. In: ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE; ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (Orgs.). Relatório sobre a saúde no mundo. Saúde mental: nova concepção, nova esperança. Brasília, DF: OMS, 2001. p. 58-61.

PENSO, M. A.; SUDBRACK, M. F. O. O filho fora do tempo: atos infracionais, uso de drogas e construção identitária. Arquivos Brasileiros de Psicologia, Rio de Janeiro, v. 61, n. 1, p. 2-15, set. 2009.

PITTA, A. M. F. Os Centros de Atenção Psicossocial: espaços de reabilitação? Jornal Brasileiro de Psiquiatria, Rio de Janeiro, v. 43, n. 12, p. 647-648, 1994.

ROBAINA, C. M. V. O trabalho do serviço social nos serviços substitutivos de saúde mental.

Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 102, p. 339-351, abr./jun. 2010.

ROCHA, S. Pobreza no Brasil: afinal, do que se trata? 3. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

SANTOS, R. T. dos. O trabalho do Serviço Social e a articulação à reforma psiquiátrica brasileira no contexto do Centro de Atenção Psicossocial (Caps): desafios e possibilidades. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Serviço Social) – Universidade Federal Fluminense, Campos dos Goytacazes, RJ, 2018.

SARTI, C.A. A família como espelho. Tese (Doutorado em Antropologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1994.

SCHENKER, M; MINAYO, MCS. Fatores de risco e de proteção para o uso de drogas na adolescência. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 10, n. 3, p. 707-717, 2005.

VASCONCELLOS, V. C. Trabalho em equipe na saúde mental: o desafio interdisciplinar em um Caps. Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas, Ribeirão Preto, v. 6, n. 1, p. 1-16, 2010.

YAZBEK, M. C. Pobreza no Brasil Contemporâneo e formas de seu enfrentamento. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 110, p. 288-322, abr./jun. 2012.

Downloads

Publicado

2020-12-19

Como Citar

Vasconcelos, T. S. M. ., & Lopes, V. A. S. . (2020). O serviço social no CAPS-AD: Fatores associados à interação entre dependência química e o estar em situação de rua. Mundo Livre: Revista Multidisciplinar, 6(2), 349-363. Recuperado de https://periodicos.uff.br/mundolivre/article/view/47681

Edição

Seção

Sessão temática

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)